RECONHECENDO A ABUNDÂNCIA – 12

Thiago Strapasson
12/08/2017

Ser abundante tem um elo com a condição financeira?

A abundância é um estado de abertura da alma, onde se aceita que o universo nos sirva de formas inesperadas. É um estado no qual o anseio já não é projetado a resultados, já não há mais expectativas sobre como a vida se conduz. É um estado de ser e não mais de ter.

Tivemos grandes exemplos de seres que vieram a demonstrar a vida em um estado de abundância, independentemente da condição material.

Jesus viveu de forma abundante em meio aos humildes, com generosidade, tendo como propósito contribuir ao mundo a cada dia, sem se prender ao orgulho, à vaidade, à luxuria, e tantos outros vícios que a matéria pode nos conduzir.

São Francisco de Assis demonstrou a abundância a partir da conexão com o todo, com a natureza, os elementais e animais. Em sua simplicidade, vivia feliz, sentindo a abundância que há no mundo.

Saint Germain viveu de forma abundante, com um grande fluxo monetário que percorria sua vida, porque ele era necessário à realização de sua obra. Então ele aceitava esse fluxo monetário, mas sem permitir que a matéria o guiasse.

Vivia com propriedades, dinheiro, funcionários e, mesmo assim, sem permitir que sua consciência se afundasse nos vícios materiais da cobiça, ganância, orgulho ou prepotência. Vivia de forma generosa, sem apego ao futuro, sem desapontamentos pelas perdas, que advinham de seus negócios, porque confiava na manutenção do fluxo de recursos, que era necessário ao propósito de dividir abundância.

A abundância é primeiro um estado de ausência de julgamento em face dos recursos que são trazidos, pois todos eles são absolutamente necessários ao cumprimento do propósito de alma. Há aceitação, e não há julgamento, quanto a tudo aquilo que o dinheiro pode propiciar na vida.

Vive-se com o dinheiro, com o fluxo de recursos e não mais com a preocupação sobre os caminhos aos quais o dinheiro pode conduzir, em termos espirituais. Ele é trazido à vida sem preocupação, sem ansiedade, metas ou projeções de cifras, como condição para a felicidade. Há somente a vida como é, e a liberdade de viver com entrega e confiança, de que sempre o necessário será trazido à vida. E assim se faz.

Mas o que se dá no mundo, é que o dinheiro é vivido a partir do anseio pela falta futura, com expectativas de resultados, projeções de metas que conduzem o corpo ao stress, ao anseio e a projeção da dificuldade na obtenção dos recursos, ou é vivido como algo negativo, que conduz os homens à ganância, ao orgulho, soberba e luta pelo poder.

Ambas são formas de negação do fluxo de recursos, uma energia que o interrompe. Nenhuma das visões traduz a realidade da alma, porque todo esse sentimento não está no dinheiro, nas propriedades, nos bens em si. Esse sentimento está na forma como se conduz a vida.

A vida pode ser vivida com aceitação e humildade, sabendo que merece o melhor, aquilo que nos faz sentir bem e com confiança no futuro, ou então, pode ser vivida a partir de restrições e dificuldades, com grande anseio, que se projeta pelo cumprimento de metas de lucros e mais lucros, sem generosidade e gratidão, que advém de um estado de completa entrega em relação ao que se tem, sem preocupação em se poderá vir, ou se não o terá.

A matéria, em um estado de abundância, não é mais objeto de apego, de julgamentos negativos, mas sim de libertação, de transcendência da condição material para a espiritual, para a condição energética da vida.

E nesse estado todos os recursos surgem de maneira livre, sem julgamento. Há verdadeira aceitação quanto à condição energética de tudo o que é. Os bens, as propriedades, o dinheiro, e tudo o mais, se transformam em energia que manipulamos através da nossa consciência. O fluxo monetário se transforma em fluxo energético, que entra e sai com liberdade diante da vida.

Não é mais esse fluxo a condição de nossa felicidade. Ele simplesmente está lá a nos servir. Os recursos entram e saem de forma livre, alegre, espontânea, sem projeções, expectativas, metas, sem medo e dúvida. Há plena confiança quanto ao resultado, que sempre será satisfatório, porque o universo passa a nos servir de forma abundante. E a abundância de recursos do mundo passa a fazer parte de nossa vida. A verdade se faz.

A verdade é que a falta de dinheiro no mundo é uma ilusão. Todas essas projeções, anseios e metas que a humanidade carrega, não passam de ilusão, porque Deus sabe exatamente da necessidade da nossa luz, dos nossos dias, da nossa alma.

E a partir do momento que nos abrirmos a isso, Ele nos serve, porque a alegria maior de uma Pai e Mãe é poder servir os seus filhos já desprendidos do ego, vazios e soltos pelo mundo. O abundante está maduro a receber esse fluxo, e lidar com ele sem se comprometer, sem se viciar pelos encantos irreais da matéria. O fluxo passa a ser energético, e não mais financeiro. A ilusão se desfaz!

A partir do momento que a ilusão se desfaz, o fluxo pode se fazer livre, generoso, cheio de confiança, sem apego, sem dúvidas, anseios, mas é feito pelo merecimento de uma condição energética que nos traz de tudo de forma simples, fácil e sem luta. A vida se torna mágica, ela se faz de graças que são trazidas.

E isso é ser abundante, é tratar a matéria como ela é, um fluxo de entradas e saídas, que tem o único propósito de servir aos nossos dias, de satisfazer a nossa necessidade. O dinheiro é vivido de forma solta, alegre, sem culpa, sem julgamento, mas de forma a nos trazer felicidade e não amargura, tristeza e sofrimento.

O “ser abundante” não possui um elo com a quantidade monetária, porque ela se faz na vida, ela surge sem preocupação, com desprendimento, e sem dúvida quanto ao futuro. Porque o futuro é, assim como o presente, abundante de recursos. Então os recursos são vividos dessa forma, dando-se ao prazer de vivê-los, sem amargura da ansiedade pela falta e pela escassez, sem mesquinharias ou tramas pelo poder, sem corrupção, mas entregue ao melhor sempre.

A vida não é vivida a partir da matéria, mas do espirito, que tudo possui à sua experiência. A vida é vivida a partir da riqueza do espirito que é milionário diante dos olhos do Pai/Mae, é abundante e feliz. E assim a vida se faz.

PARTES – 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Thiago Strapasson – www.pazetransformacao.com.br
Grata Thiago!

LUZ!
STELA

Anúncios