LIBERANDO A MATRIZ, UMA NOVA NOVELA – 16º CAPÍTULO

ATRAVÉS DA MATRIX
Os Arcturianos
Através de Suzanne Lie
22 de Junho de 2018

16º Capítulo

O VERDADEIRO AMOR NUNCA MORRE

O que eu aprendi desde que John morreu em sua forma física, é que o verdadeiro amor nunca morre. Mas pode ser transformado. Os muitos anos de convivência e de compartilhar minha vida com John me transformaram profundamente. Mas quando ele morreu diante de mim, eu estava em tal tristeza profunda que quase morri..

Foi, então, que me lembrei do que minha querida mestre, Shalone, havia me dito antes, e depois disso, ela morreu. Shalone me disse que ela estava indo para “Casa” e que eu deveria estar feliz por ela.

Na verdade, acho que ela até disse: “Você está chorando por mim ou por você mesma? Você deve ser forte. Então você será mais capaz de ouvir. e entender, o que eu tenho para lhe dizer”. Essa declaração chamou minha atenção, e eu sabia que precisaria ser forte.

Eu também percebi que, assim como Shalone tinha guiado minha vida física por muitos anos após sua transição, John guiaria minha vida física até que fosse minha hora de me unir a ele no “Lar” de que Shalone havia falado.

Eu também me lembrei que Shalone dissera: “Você deve ser forte. Então você será mais capaz de ouvir e entender o que eu tenho a lhe dizer”. Sim, é claro que John também teria algo a me dizer.

Essa mensagem veio a mim na forma de um sonho muito vívido, no qual John me contou sobre o “mundo de dimensão superior” para o qual Shalone, e agora John, haviam mudado. Eu fiquei encantada de poder “ter um sonho” sobre John após a morte. No entanto, eu também estava furiosa, e minha raiva impossibilitou que eu me conectasse com a versão dele que nunca morreria.

Foi preciso outra jornada solitária para a floresta para eu perceber isso. Eu já era bastante velha naquela época, e John e eu tivemos um casamento longo e amoroso. No entanto, sem ele na minha cama, eu não conseguia dormir à noite. Por isso, passei a vagar pelo bosque até ficar tão cansada que podia finalmente ir para casa e dormir no meu leito vazio.

Na verdade, se o tempo permitia, muitas vezes eu pegava um cobertor grosso e dormia do lado de fora, onde eu estava perto da Mãe Terra, abaixo de mim, e podia sentir meu amado John nas dimensões mais elevadas acima de mim. Quando dormia na terra, muitas vezes, tinha sonhos de John nas dimensões mais elevadas.

Claro, eu nunca tinha ouvido falar do termo “dimensões”, mas fiquei encantada quando John me disse que ele estava em uma “dimensão mais elevada da realidade”. Eu não tinha ideia de que “dimensão” era, mas fiquei feliz em ouvir que ele estava em um lugar mais elevado.

Finalmente, uma noite, pedi a John para me dizer qual era a “dimensão”, mas estava tão cansada de um dia atarefado que adormeci. No entanto, esse sono, que na verdade não foi realmente sono, me levou a um sonho, que não foi um sonho, sobre outra dimensão da realidade.

Agora irei contar a história como ocorreu naquele AGORA.

Como eu disse, John morrera anos antes, mas eu não pude contá-los porque comecei a abandonar o conceito de tempo. Eu fiquei em minha casa e via alguém que desejava ser curado, seja por palavras ou por um campo de energia que lentamente começava a passar pelas minhas mãos.

O campo de energia começou como o que eu chamei de “cócegas”. Então, um dia, descobri que, quando esfregava juntas as mãos, sentia uma sensação de cócegas, que logo se transformavam em calor. No entanto, o calor não era quente ou desconfortável. De fato, o “calor” parecia conforto, amor, compaixão e paciência.

Eu sei que você está se perguntando como um calor pode parecer “conforto, amor, compaixão ou paciência”, mas essas foram as palavras que os outros me disseram quando os tocava. Portanto, acabei aceitando a explicação deles e me permiti experimentar o calor dessa maneira também.

De fato, às vezes, eu tinha essas sensações em minhas mãos quando estava sozinha. Então, eu saía para a Aldeia, o que raramente fazia, em busca de quem precisasse do meu toque. Às vezes era um humano, às vezes era um animal e, às vezes, era uma árvore, um riacho ou até o céu.

Como só saía de casa e do quintal quando tinha estas sensações em minhas mãos, as pessoas começaram a me seguir enquanto eu andava procurando a pessoa, o lugar ou a situação que precisava do campo de energia mais elevado que estava fluindo pelas minhas mãos.

Ninguém nunca me atrapalhou ou me incomodou. Em vez disso, eles me seguiam para adicionar seu amor e apoio a quem ou o que quer que estivesse me chamando para ser curado. Às vezes, nosso “grupo de cura”, como eu os chamava, ficava a pouca distância.

Por outro lado, às vezes tínhamos que nos interiorizar na floresta para responder ao chamado de cura. Cada membro do “Grupo”, como nos chamamos, aprendeu sua própria forma de cura. Alguns deles experimentavam o chamado em suas mãos, mas outros de repente começaram a fazer uma “sopa de cura” que geralmente terminava quando alguém batia à porta para uma cura.

Nossa pequena aldeia gradualmente se tornou um lugar de cura, e algumas pessoas percorriam grandes distâncias para chegar a nossa cidade. Então, eu servia não tanto como curadora, mas como alguém que ensinava aos outros como “encontrar sua própria maneira de curar”.

Enquanto eu estava ficando cada vez mais necessária, eu também estava ficando cada vez mais velha. Por isso, comecei a ensinar as pessoas a encontrar o seu dom de cura pessoal. Ao ajudar cada pessoa, concentrava-me em seus próprios “meios específicos de cura”. Essa experiência foi muito esclarecedora para todos, pois descobrimos que havia muitas maneiras de “curar o outro” e / ou “curar a si mesmo”.

O tempo todo, eu podia sentir meu amado John me ajudando e me guiando das “dimensões superiores”, como ele chamava. Finalmente, eu fiquei sozinha com ele tarde da noite, isto é sozinha com o que ele chamou de “sua essência”, e ele explicou as “dimensões superiores” para mim.

Na verdade, ele me disse que estava em uma “realidade da quinta dimensão”. Ele então me disse, para minha grande alegria, que eu logo me juntaria a ele na “realidade da quinta dimensão”. Quando lhe pedi para explicar exatamente o que era a quinta dimensão, ele só disse: “Você irá encontrar em breve”.

Depois de ouvir o termo “em breve” por quase um ano, chamei John e disse: “Quando é o meu breve? Estou pronta para me juntar a você na quinta dimensão”.

“Amada, você está ciente de que, juntando-se a mim na quinta dimensão, você precisará deixar seu corpo terrestre atual?”

“Oh sim, sim.” Eu respondi. “Sinto que fiz tudo o que podia nessa versão da realidade. Estou pronta para me unir a você nos mundos superiores”.

“Maravilhoso”, disse John. “Eu virei hoje à noite na minha nave para buscá-la às 2 da manhã. Eu escolhi esse tempo pois os aldeões estarão dormindo. Basta sair para o nosso quintal que se conecta à floresta e olhar para cima. Quando você ver a luz brilhante, permita que a luz a envolva. Não tenha medo, Eu a encontrarei na Luz. ”

“Hoje à noite John irá me encontrar na luz! John irá me encontrar na luz!” – Eu recitei enquanto reunia os dois cobertores mais quentes que pude encontrar e os levei para o quintal.

Eu não iria perder meu encontro com John. Então, se eu adormecesse, seria no quintal onde eu iria encontrá-lo. Eu estava pronta para uma nova vida e muito preparada para ver o meu querido John novamente.

(continua…)

INTRODUÇÃO

CAPÍTULOS: 1 | 2 e 3 | 4 e 5 | 6  | 7  | 8 | 9 e 10 | 11 e 12 | 13 | 14 | 15 |

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
Suzanne Lie – http://suzanneliephd.blogspot.ca
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

LUZ!
STELA

Anúncios