O MURO

Mensagem de Yeshua
canalizada por Judith Coates
14 de Julho de 2018

Amado, eu gostaria que você soubesse que a palavra “amigo” é uma derivação de outra palavra que significa “igual”. Você é igual a mim. Agora, eu sei que seus santos Padres disseram: “Bem, isso não pode ser. Um Yeshu’a, um Jeshua, um Jesus passou algum tempo com você ensinando-lhe”- na verdade, eu não ensinei; Eu invoquei o que você já sabia – “então ele permitiu que o corpo fosse arrebatado, e houve uma Luz muito bonita, e ele ascendeu ao que foi conhecido como o Céu. Ele está separado e acima de você, sentado à direita de Deus no Céu ”.

Agora, eu falaria com você sobre o céu, porque o céu não está lá mais em cima do que abaixo. Sei que seus santos Padres lhe disseram: “É melhor ouvir as palavras que falamos para você. E se você fizer o que todos os professores mais bem versados ​​lhe dirão, você irá para o céu; você irá ascender. Ai de você se você descer, porque há o poço de fogo que queimará todo o lixo e fará de você a Luz novamente. ”

Mas na Verdade, não há lugar algum que você possa ir além do que e onde e quem você é agora. Aqueles que liberaram o corpo se percebem despertos; eles ainda estão vivos. Eles ainda estão conhecendo a existência. Eles ainda estão sabendo.

Na verdade – agora, ouça isso bem – eles o ouvem muito melhor depois de terem liberado o corpo do que quando você estava no corpo e focado em algo que você queria dizer, pensar, ser absorvido. Quando não há o corpo para ter que arrastar, eles estão muito na Totalidade do Espírito.

Então você pode ter um ente querido que tenha liberado o corpo, feito a transição, como você quiser chamá-lo, e você sente que há uma presença. Você sente, talvez, “Oh, isso parece com ______”, e você sente a presença dele, sente a energia dele.

É muito, muito verdadeiro que ele está com você, porque… você se lembra? Você se lembra da única declaração abrangente que fiz repetidas vezes? Porque não há separação. Eu tento reforçar essa verdade toda vez que falamos.

Então você pode sentir que alguém liberou o corpo, e você pensa: “Oh, não, eles foram embora, e eu não posso falar com eles. Eu não posso ouvi-los.” Não, isso é pensamento limitado. Eles estão ao seu redor, muito mais ligados a você do que nunca, quando havia foco no corpo; muito mais abertos e receptivos ao que você está sentindo, ao que você está pensando, ao que você está questionando.

E eles ficam muito felizes quando você está feliz. Quando você está passando por um momento triste e lúgubre, sentindo falta deles, eles tomam isso como um elogio, mas eles não desejam que você permaneça naquele espaço, porque a vida se trata de viver. A vida se trata de alegria.

No entanto, ao passar pela vida humana, você terá pontos de interrogação. Você terá muros que você enfrenta. Você vai ter momentos em que você se pergunta: “Como eu ultrapasso este muro? Como eu fico embaixo deste muro? Como posso me aproximar deste muro? ”Você chega a um espaço onde sente que está sendo retido, que foi detido; Você quer saber mais; você sabe mais, mas quer saber como conseguir isso.

Como você encontra esse espaço? Respirando fundo. É assim que começa. Essa é a chave que destrava a porta na parede ou que colocará para você a escada para que você a escale. Você começa com uma respiração profunda que diz: “Ok, o que quer que esteja acontecendo, eu paro”.

A mente gosta de continuar com todas as perguntas de: “Como vou fazer isso? Com quem irei falar que vai ter a resposta? Para onde eu vou daqui?” E tem que ser lógico, a mente diz. Às vezes as respostas não são lógicas. Às vezes eu o vi … você obtém a resposta e diz: “Ah, não, não pode ser assim tão simples”.

Então você se permite continuar respirando. É uma coisa boa contanto que você esteja ativando um corpo. Então você permanece no espaço da paz, o espaço que diz: “Ok, eu não tenho que colocar muito stress em mim mesmo.”  Na verdade, quando você faz isso, muitas vezes isso mantém a resposta lá fora em algum lugar, e você não está sendo receptivo a ela.

Quando você chega ao espaço do muro, muitas vezes você sente: “Eu não sei o que está do outro lado do muro. Eu só sei que não posso voltar. Eu tenho que seguir em frente. Há esse muro na minha frente e eu preciso de algumas respostas.” Você já disse isso? Claro, muitas vezes. Você perguntou aos seus amigos, aos seus professores, foi à bibliotecas, estudou nos livros e pode ter encontrado uma resposta.

Então você continua mais alguns dias ou anos, e às vezes você vem contra outro muro. E você diz: “Eu pensei que já tivesse superado isso.” Você se vira e olha em volta, e com certeza, você passou por esse muro, mas aqui está outro. Então, o que você faz? Você respira fundo e permanece em paz. Você respira fundo e se permite permanecer em paz até que haja um esclarecimento de uma idéia.

Mesmo que não seja a resposta completa, você avança com a parte da resposta que está recebendo. Pode ser uma sugestão para que você vá falar com alguém. Você não está realmente certo do porquê. Você se sente muito constrangido com isso, mas você vai até a pessoa e diz: “Eu preciso falar com você por um minuto. Isso é o que está acontecendo comigo, e tenho a sensação de que você tem a resposta. ”

E a outra pessoa provavelmente dirá: “Eu não acho que tenho a resposta para você”. Mas então você começa a falar, e quando você o faz, você compartilha, e algo irá levar como se fosse uma associação para outra e para outra, até você ver que, “Ok, eu realmente não estou preso. Eu posso seguir em frente, mesmo que seja apenas por centímetros”. Às vezes é assim que é; é apenas uma polegada de cada vez.

Ou outras vezes parece que você vai adiante aos trancos e barrancos, e você sente: “Graças a Deus. Eu me senti tão retido por tanto tempo, e agora vejo o que posso fazer”.  Há uma exultação, um sentimento de “Uau!” E você segue em frente.

Agora, na verdade, você nunca vai para trás. Você tem isto atrás de você, a experiência do que você fez, e você traz isto com você, porque é e tem sido um ensinamento que você fez para você, uma experiência, e toda encarnação lhe trará experiência; cada encarnação, não importa a forma que você escolher.

Você pode optar por ser a abelha. Você não precisa ser humano para conhecer a vida. Você pode ser o mosquito que nem todo mundo adora ter em casa. Ou você pode ser a águia que voa alto. Ou você pode ser um dos irmãos do espaço.

Como você acha que chegou aqui para viver na sagrada Mãe Terra? Por pensamento, sim, mas pelo pensamento da viagem espacial. Já pensou nisso, já se perguntou – eu sei que você já o fez: Você se perguntou como chegou aqui? Como surgiu a primeira forma da sagrada Mãe Terra? Pelo pensamento e forma, porque a forma segue o pensamento.

Então você já foi o irmão / irmã do espaço? Pense nisso. Certo. Por que não? Você não está limitado. Qualquer coisa em que você possa pensar, você foi e é muito mais. Muitas coisas você acha que não experimentou.

É por isso que é divertido fazer certos exercícios em que você entra na meditação ou você entra no que é chamado de hipnose regressiva e volta ao que parece ser uma vida anterior onde você esteve. Às vezes você experimenta o que parece ser uma forma muito estranha, e ainda assim qualquer coisa em que você possa pensar, você pode experimentar e você pode ser.

Então, quando você está aqui e parece estar contido em um corpo, isso é apenas uma experiência. Se você consegue pensar – e eu sei que muitos de vocês e irmãos e irmãs que gostam de ficção científica – surge uma idéia, de onde veio essa ideia? Veio de você. Veio do que você fez e experimentou; do contrário, não estaria dentro do seu conhecimento.

Então, quando seus programas de entretenimento aparecem e parecem estar bastante “lá fora”, você fica muito animado com eles porque, “Oh, uau, o que vai acontecer? Como eles podem fazer essa viagem espacial? Esse espaço expansivo … – todos aqueles anos-luz que eles estão me dizendo que é necessário para viajar de uma galáxia para outra. Bem, se você imagina que todas as viagens são pensadas, isso diminui um pouco.

Qualquer coisa que você possa imaginar – e muito mais – você já experimentou. Portanto, nunca abandone ou rejeite uma ideia que chegue a você. Ela chega para ajustar sua memória quanto a quão expansivo você é.

Você não está contido dentro do corpo. Você o usa, tanto quanto você pensa que pode; você o usa, mas não é tudo de você. A grande maioria de vocês não está contida, não pode ser contida. E você sabe disso, porque você sonhou em correr nos campos. Você sonhou em voar. Você sonhou com outras existências. Então você acorda e diz: “Ah, mas foi apenas um sonho”.

Eu lhe pergunto, de onde vem o germe de um sonho? A partir do pensamento, e o pensamento muitas vezes é baseado no que você já experimentou fazer e ser.

Quando falei com minha amada amiga e professora, a que você conhece como Judith, que meu tema nesta noite seria “O Muro”, ela me perguntou: “Isso tem alguma coisa a ver com o projeto político que está sendo amplamente divulgado?”. E eu disse: “Bem, é claro”. Tudo está dentro do reino do pensamento, e é aí que está o muro; está dentro do reino do pensamento. Será? Para alguns de vocês, será uma realidade parcial.

Eu vou lhe pedir que faça algo divertido. Coloque-se no futuro daqui a vinte e cinco anos. Haverá necessidade de um muro como o que está sendo considerado agora? Provavelmente não.

Eu sugiro a você que em vinte e cinco a cinquenta anos de seu tempo, o que você vê como países separados como o Canadá, Estados Unidos, México, alguns da América Central, todos serão unidos como um só. Eles podem ser como os estados de seus Estados Unidos: autônomos em algum grau e ainda parte de um todo maior.

Vocês, como um coletivo, irão se cansar de estar contra alguma coisa. A ideia de Unidade já está germinando. Então, aqueles de vocês que estiveram assistindo e seguindo toda a conversa – e é isso que é agora – permitam-se avançar alguns anos e saibam que as comunidades que vocês têm agora estão mudando; elas já estão mudando.

As energias conflitantes que você observa agora são muito como falamos muitas vezes sobre a muda enquanto ela está germinando e subindo pela crosta do solo. É difícil. Faz uma bagunça das coisas. Quando essa pequena muda surge, ela empurra a sujeira que se afasta. Isso muda tudo. É preciso muita energia para surgir e deixar de lado tudo o que existiu de certa forma que parecia que sempre iria ser assim, e ainda assim a muda diz: “Mas eu devo crescer. Eu devo florescer. Eu devo ser.”

É onde você está agora. E aqueles que se lembram das vidas de ser não apenas a muda, a consciência, a consciência expandida; aqueles que se lembram de como é estar no verdadeiro amor e amizade com os outros, você está dizendo: “Por que não podemos ter isso agora?”

Porque existe uma crença no processo, no tempo, que diz: “Bem, tem que haver um começo. Tem que crescer. Tem que germinar um pouco. Tem que subir pelo solo. Tem que ser um processo.”

Mas pensei… que coisa excitante. O pensamento pode ser muito rápido, muito rápido, ir de uma ideia a uma manifestação. Se você olhar para o processo que está acontecendo do meu ponto de vista, é muito rápido.

Então, eu ouvi alguns de vocês dizendo, “Mas Yeshua, se eu tiver apenas um certo número de anos nesta vida, eu ainda irei estar ativando o corpo quando isso acontecer, porque parece que vai ser muito tempo a partir de agora.”

A resposta para isso é: “Como você desejar.” Se você quiser prolongar a vida útil ou se quiser reciclar e voltar, criar uma forma novamente … ou você pode dizer: “Bem, eu já visualizei isso, e eu realmente gosto do que eu visualizo, então talvez eu não tenha que fazer isso de verdade. Talvez eu saiba apenas que isso irá acontecer.”

Veja, de onde você está a qualquer momento, há mais caminhos do que você pode contar a partir desse ponto; potenciais. E aquilo que você pode visualizar, imaginar, brincar, tudo isso, na verdade, já aconteceu. Mas é divertido vivê-lo, e é por isso que você faz isso. É divertido experimentá-lo.

Você sabe voar? Como se sente ao voar, estar acima e ter a perspectiva de ser capaz de olhar para todas as pequenas criaturas que estão correndo pela superfície da Terra? Você pode imaginar isso. Você provavelmente já esteve no avião e olhou para baixo. Se não, você lembra como é da nave espacial.

Você sabe como é fazer a meditação certa e ir até a colina gramada, ir até à árvore, ir para a nuvem, olhar para o prado verde. Você sabe como é; o rio que está correndo, o prado verde, o pássaro que fica na árvore. Como você sabe disso? Porque você já esteve lá, fez isso.

Como é ser elegante como um gato e pular do parapeito da janela e se mover com facilidade e graça; como um gato pequeno ou como um grande leão? Você sabe que o pequeno quadrúpede – você o chama de pequeno – acha que ele é tão grande quanto o leão? Por que não?

Existe um conhecimento. E como eu já perguntei, como você tem esse conhecimento? Ele existe porque você já esteve lá, fez isso. É na verdade uma lembrança. E você tem um professor sábio que lhe disse que tudo o que você faz aqui é feito em memória; não em memória de mim.

Se você quiser se lembrar de mim, tudo bem, mas você não tem que fazer isso em memória de alguém que aparentemente está acima de você. Eu não estou acima de você. Somos iguais; sempre seremos, sempre fomos. Nós somos da única Mente – com“M” maiúsculo. Isso é tudo.

Então, quando você chegar àquele lugar onde parece haver um muro à sua frente, “Você sabe, eu gostaria de mudar minha rotina diária. Eu gostaria de estar realmente fazendo algo onde eu pudesse usar mais meus talentos, mais o meu pensamento, mais as minhas idéias expansivas. Eu nem me importaria de ter um trabalho em que eu pudesse estar. Pode ser bom.”

Coloque-se daqui a um ano; talvez nem tanto tempo assim. Visualize. Porque eu direi a você que, com toda a probabilidade, daqui a um ano você estará fazendo algo muito diferente do que está fazendo agora. Você irá estar se expandindo, desenvolvendo-se, divertindo-se mais e mais fazendo o que seja o novo empreendimento.

Até certo ponto de uma vida, você parece estar acumulando experiências, conhecimentos, idéias, técnicas. Você vai à escola e eles ensinam como é a forma aceita de escrita, a forma aceita dos sons das palavras, e você diz: “Ok, você sabe, eu vou concordar com isso. Irei estudar, irei aprender.”

Você está vivendo em um momento muito emocionante, porque a consciência está pronta para saber o que está além do muro. Você está em um lugar onde você sabe que nenhum muro poderá retê-lo. Você é o único que construiu o muro, então, portanto, ele tem que lhe obedecer.

Agora eu sei que às vezes os muros podem parecer muito grossos. Houve muitas vezes, como está registrado em seus textos sagrados, que eu ia a um jardim e comungava com o Pai, como o chamava – o Pai, porque era uma sociedade patriarcal, e o pai era visto como o Provedor. Como eu compartilhei com você em outros momentos, se tivesse sido uma sociedade matriarcal, teria sido a Mãe.

Então eu comunguei. Eu disse: “Veja, há certas pessoas nesse grupo, o grupo expandido, esse grupo religioso, que não gosta muito do que estou dizendo. Eu sei que eles não gostam de mim, e eles gostariam que eu simplesmente parasse de compartilhar, mas eu não posso”.

Há dois mil anos, eu estava falando sobre algumas das mesmas coisas? Sim. Você compreendeu as idéias então? Sim. Por que você está de volta agora? Dê-me uma resposta para isso. Por que, se há dois mil anos você teve um vislumbre do que eu estava compartilhando com você, por que você está de volta agora?

Para explorar todas as possibilidades das ideias, que é o que você está fazendo agora, com a exploração de novas dicas, ideias que chegam até você e você se empolga com elas.

Você acorda de manhã e pensa: “Hmm, eu me pergunto o que era aquilo quando ele disse isso ontem e eu estive pensando sobre isso”, e surge uma nova ideia. Às vezes você fica muito empolgado com isso e quer compartilhá-lo com alguém, e você o faz.

E é assim que a consciência muda – em um instante. Uma ideia vem, e não será silenciosa até que você brinque com ela, até que você diga: “Ok, eu estou subindo neste muro com essa idéia que acabou de chegar a mim. Estou animado com isso. Eu realmente quero ver até onde isso irá. Eu quero ver o que acontece.”

O muro é de sua própria criação. E se for da sua criação, quem pode mudar isso? Você quer me chamar para mudar isso para você? Eu tenho novidades para você. Eu só posso fazer por você o que posso fazer com você. Isso é o quanto você é poderoso.

Seus mestres religiosos, seus santos Padres lhe ensinaram por um longo tempo que vocês eram minúsculos vermes do pó, que você não sabia como sair e você não sabia como entrar, que você tinha que procurá-los por conselhos. Às vezes, o conselho o mantinha em um contêiner, impedia que você pensasse que poderia ser qualquer coisa além do que você era; não entendendo o quanto você é e até onde você pode ir.

Mas isso está mudando. Quando você sentir que chegou a um muro; escale-o. Suba o muro. Saia da bengala; ande pelo muro. Pegue o balão e passe por cima: da maneira que você quiser.

E saiba que você nunca faz nada sozinho. Sempre há ajuda. Estou sempre aqui para ajudar. Os mestres, os professores, aqueles que você conheceu em outras vidas, os que escreveram os livros nesta vida: vocês são professores uns para os outros. Compartilhe o que você sabe. Compartilhe o que você está questionando, porque às vezes as respostas surgem das perguntas.

Entusiasme-se com a vida. Vá em frente, como dizem. Anime-se. Saiba que não há muro muito alto, muito espesso, muito longo. Respire fundo e diga: “Eu vou” e, com isso, um milagre acontece. O muro desaparece.

Que assim seja.

– Jeshua ben Joseph (Jesus)

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
http://www.oakbridge.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

LUZ!
STELA

Anúncios