UMA VIDA BEM VIVIDA

UMA VIDA BEM VIVIDA
Mensagem de Yeshua,
canalizada por Judith Coates
14 de Outubro de 2018

Amado, vamos falar agora sobre “O que é a realidade?” Como eu vivo na minha realidade? Como eu vivo uma vida que afeta os outros de forma saudável? Como eu tenho uma vida bem vivida?

Você teve exemplo disso muito recentemente com um de seus companheiros [John McCain], bem famoso, que realmente teve uma vida bem vivida.

Ele veio com uma missão, se você quiser, duas missões, na verdade: uma para compartilhar com todos aqueles que tinham olhos para ver e os ouvidos para ouvir a missão de curar, e também para si mesmo, para reviver uma vida que ele fez várias outras vezes, mas para vir desta vez nesta vida e não carregar as cicatrizes do terror, não levar essas cicatrizes para a vida posterior; para curá-las e poder continuar com uma empatia com todos os irmãos e irmãs e entender que todos, não importa o que pareça, estão tendo suas próprias batalhas para chegar ao lugar da percepção da divindade deles mesmos. .

Então você teve alguém que veio e deixou sua marca neste momento, nessa realidade – “r” com letra minúscula.. Ele sabia antes da encarnação, como a alma que ele é, que ele iria ser professor, curador, mas ele não sabia exatamente como tudo iria acontecer.

Verdadeiramente todos vocês, todos nós concordamos com uma missão antes de uma encarnação, mas como isso funciona é deixado para certas decisões que você toma ao longo do caminho.

Agora você aceitou uma missão e está levando a cabo sua melhor compreensão do que é sua missão. Este “agora” faz parte dessa missão. Este “agora” é um tempo de despertar e reivindicar aquilo que você deseja ser, conhecer e dar exemplo aos outros.

Neste “agora” você está dizendo sim à sua Realidade – “R” maiúsculo. Você está dizendo: “Sim, é a minha divindade, minha energia divina, o Eu divino que me permite viver uma vida que parece ser apenas uma vida humana”, e ainda assim o que você faz e como você faz isso cura a si mesmo e outros pelas escolhas que você faz.

Eu o estive observando como você tem passado pelo que é chamado de sua vida, e eu o vejo escolhendo o amor.

Às vezes você está em circunstâncias em que é um pouco difícil amar, estar em um lugar de cura, oferecer cura a outras pessoas. Se eles aceitam ou não, não é sua a responsabilidade, mas oferecê-lo; oferecer amor aonde quer que você vá e ter o sorriso no rosto que diz para o outro: “Eu entendo você. Eu amo Aquilo que você é.

Antes de encarnar nesta vida, você concordou com o grupo de almas, porque sempre antes de você vir, existe o que você chama de conferência, que é realizada, e a visão geral é colocada à sua frente. Então cabe a você como o pequeno nos braços e quando você cresce irá descobrir como você quer fazer isso.

Tudo bem se você tentar coisas diferentes; às vezes funciona, supostamente – sempre funciona, mas às vezes é mais óbvio que outras vezes – ou se não funciona como você esperava, como age e reage ao que acontece ao seu redor e dentro de você.

Você é um curador, na forma muito extensa de cura. Você é um mestre que escolheu vir neste momento, que não é o momento mais fácil de uma realidade, mas você disse: “Meus irmãos e irmãs, as outras centelhas da divindade, precisam de mim, querem a mim. Eu os quero. Eu quero conhecer minha Unidade com os irmãos e irmãs ”.

Então, você escolheu um caminho. Às vezes é suave. Às vezes, tem algumas mudanças e mais transformações. Às vezes, você faz uma pausa para pensar, avaliar e se perguntar: “Por que escolhi esse caminho?” Sim, eu sei, houve muitas vezes em que você se perguntou: “Do que tudo isso se trata e por que estou aqui? Por que ainda estou aqui?”

Bem, se você ainda está ativando um corpo, é porque você não completou o que você disse que faria, ou você escolheu se divertir um pouco mais.

Isso acontece de vez em quando quando alguém termina sua missão e pergunta: “Posso ter mais alguns dias, semanas, horas e talvez anos para me divertir, porque, você sabe, eu não acho que tenho muito tempo para desfrutar realmente. Eu estava muito ocupado trabalhando …”

Então, sim, claro, como você pede, é concedido. Tem que ser, porque para a criança sagrada, a centelha divina, tudo o que você escolher é o que você receberá. Nada pode ser retido de você.

Então, se você está procurando por cura, se você está procurando por um certo sentimento de satisfação, se você está procurando uma resposta para uma pergunta que dura a vida inteira – ou talvez mais do que uma vida – é garantido que você tenha tempo, como você mede o processo. É concedido que você tenha esse tempo.

Você tem amigos que receberam um certo veredicto de que o corpo está terminando, que será um certo número de semanas, meses, talvez até anos, e então o corpo chegará ao fim. Mas nada é decidido antes do tempo que não possa ser mudado. Alguns de vocês sabem disso, porque você já experimentou isso.

Você está ativando um momento muito agitado em sua vida agora. O tempo está acelerando. O tempo, sim, está encurtando, o seu processo de tempo. Você sente “estou ficando sem tempo”, e você está, porque o tempo é um constructo que você criou para si mesmo, acreditando no processo; processo que tem um começo, meio e fim algum dia.

E você está descobrindo que já não são os dias mais longos que você costumava experimentar quando estava muito sintonizado com a terra. Você sente um aperto, que nem sempre é bom, de tentar fazer tudo em um determinado período de tempo.

Procure os presentes à medida que avança. Se você tiver um certo sentimento de julgamento no começo, tudo bem. Não julgue a si mesmo. Apenas diga: “Ah, bem, é como eu estava me sentindo naquele momento. Agora eu escolho de novo ”, e você prossegue a partir daí.

Você escolheu esta vida. Você escolheu todas as circunstâncias ao longo do caminho. Não é pré-ordenado que você vá se encontrar com alguém em um determinado momento e em uma determinada data, exceto quando você se aproxima dessa hora e as circunstâncias parecem se encaixar. Mas não é que isso que tem que acontecer. É isso que você escolhe para que isso aconteça.

Então, seja feliz com o que você escolher. Saiba que sempre há um presente em tudo e se permita ser fácil consigo mesmo. Eu o vejo como eu vejo a energia, como eu o vejo se julgando de vez em quando.

Sempre que você entra nesse modo de julgar a si mesmo, geralmente você sai disso um pouco maltratado. Então, dê o julgamento para mim. Deixe-me julgar se o que você disse, o que você fez, aonde você foi, foi a coisa certa e melhor.

Em primeiro lugar, eu posso ver uma cena maior. Mas em segundo lugar, eu sempre julgo com amor. Portanto, nada, na Verdade – com “V”maiúsculo – está errado com qualquer escolha que você faça.

Você pode fazer uma escolha que nesta realidade, neste mundo como você o chama, pode lhe trazer certos efeitos com os quais você não quer lidar, mas se você a faz, e você tem que lidar com os efeitos, você sai disso muito mais sábio. Você diz: “Bem, eu tentei isso. Hmm, eu não irei fazer isso de novo. ” – Eu o ouvi dizer isso algumas vezes.

O que você irá querer fazer, e você está fazendo isso, é escolher o amor, escolher o positivo, escolher ser feliz sempre que se lembrar. Você chegará a um lugar onde você sabe que está completo e verá isso e dirá: “Esta tem sido uma vida bem vivida”.

O que você tem a dar? Amor, alegria, entusiasmo, estar junto com alguém, permitindo que o que você aprendeu seja compartilhado com o outro até onde eles se animam e dizem: “Sim, é exatamente isso que eu estava pensando. Isso é exatamente onde eu estava no meu pensamento. Não é incrível que pensemos da mesma forma? ”

E, nesse ponto, você provavelmente concordará. “É maravilhoso. Eu encontrei alguém que pensa como eu. Eu pensei que eu era o único no planeta que pensava assim.” E às vezes, individualizado como você pensa que é, você é o único no planeta naquele momento pensando assim.

Você deu a si mesmo um presente, um presente da realidade – com”r” minúsculo – para ativar um corpo, para poder falar com os que têm os tons, e se você não tem os tons, você elaborou a linguagem dos sinais que as pessoas podem aprender.

Você nunca está em um lugar onde você não possa se expressar. Agora, o que você expressa? Às vezes, julgamento; muitas vezes julgamento. E geralmente esse julgamento, mesmo se você acha que está desaparecendo, faz um retorno e volta. Você se vê julgando a si mesmo, e isso não parece bom.

Você tem um exemplo disso em um de seus líderes neste momento, que não está se sentindo completo, inteiro, até onde o que ele vê, ele sente como um julgamento, e então ele tem que levantar uma barricada – todos vocês fazem isso, então não é só esse; você coloca uma barricada para que o pequeno eu não seja ferido.

Ninguém gosta de se machucar, e às vezes, durante a vida, aquilo que você escolheu para lhe permitir crescer em seu próprio amor, o amor ao Eu – “E” maiúsculo – às vezes não é entendido como um presente, e às vezes é assumido como um julgamento severo.

Mas na verdade, muitas vezes, aqueles que estão moldando seus primeiros anos querem o melhor para você, e ainda assim eles não sabem exatamente como mostrar isso. Há muitas histórias contadas sobre novos pais que chegam em casa com o pequeno, e então eles se olham e dizem: “Agora, o que faremos?”

Quase todos os novos pais se sentem assim. Mesmo que tenham cursos que supostamente os instruam, eles descobrem que têm um indivíduo que realmente não se encaixa em todas as descrições do que eles devem fazer ou ser e, “Agora, o que faremos?”

Os pequenos vieram até você como presentes. Eles vieram até você para trazer o seu melhor – parece um anúncio – e eles o fazem; eles trazem o seu melhor. Às vezes, não parece o melhor, a princípio, mas na verdade você está fazendo o melhor que pode, que você sabe, como lhe foi ensinado, que você aprendeu com a geração mais velha, talvez. Então você está indo tão bem quanto sabe fazer.

E sim, os pequenos irão irritá-lo, mas é isso que eles vieram fazer, e às vezes eles fazem isso muito bem. Mas você sorri e você os ama e você continua, e vê como eles podem ser criativos.

É o mesmo com os quadrúpedes. Se eles não conseguirem sua atenção de uma maneira, eles tentarão de outra maneira até que você preste atenção neles, e talvez você descubra o que eles querem. Então, talvez você diga “sim” e talvez diga “não”, e então todo o ciclo começa novamente.

Você traz os pequenos e os quadrúpedes para a sua experiência porque você quer saber: “O que posso criar? Como posso criar? E por que, às vezes, eu crio o que parece ser o desafio?”. É para lhe permitir que você veja, em primeiro lugar, como você é criativo. “Bom Deus, eu criei isso?” Oh, sim. Aproveite suas criações. Aproveite todas as suas experiências.

Aquele que foi tão honrado neste tempo [McCain] teve experiências que você não escolheria voluntariamente, e ele sentiu algumas vezes que não escolheu essas experiências. E, no entanto, havia um espírito vivo dentro dele que sabia: “Isto é tudo por um propósito. Eu não sei o propósito”. Ele disse isso muitas vezes, e ainda assim havia um conhecimento de que algo maior estava acontecendo.

Se você puder abordar – e você pode – qualquer desafio aparente e saber que o que você está vendo é apenas parte do cenário que é realmente maior, mais distante do que você vê no momento, isto permite que você respire fundo e diga:

“Ok, talvez eu não goste do que está acontecendo agora. Talvez eu gostaria que fosse diferente, mas tem que haver uma boa razão para isso. Tem que haver um presente nisto. E mesmo que eu permita que o corpo termine, irei olhar para o que aconteceu e perceber em minha consciência que foi um presente. ”

Então você passa por todos os desafios, sabendo que o cenário é realmente maior do que o que você vê no momento. E foi isso que seu amigo fez nos anos em que ele se sentiu detido, restrito. Ele sabia em um nível muito profundo, que havia algo acontecendo que era maior do que ele mesmo. Ele não sabia que ele iria passar por tudo isso e viver o número de anos com o corpo que ele tinha.

Houve momentos no tempo em que ele estava nessa experiência, em que ele pensou que ele estaria acabado. Mas ele acordava na manhã seguinte e o corpo ainda estava com ele, ativado para mais um dia e mais um dia, confiando em um nível muito profundo que havia um propósito. E havia.

Não foi fácil. Mas como você descobriu, nenhuma vida humana é, em termos humanos, fácil. Toda vida humana tem seus desafios e, ao mesmo tempo, você reconhece que está criando. Eu sabia disso. Eu experimentei isso mais de uma vez. Eu tive mais de uma vida humana, porque eu queria saber mais.

Então, eu tive a vida como um simples camponês, um agricultor, aquele que estava em sintonia com o sol nascente e o tempo da lua, e isso era tudo que eu precisava; isso e os pequenos quadrúpedes e as ovelhas.

Eu tive várias vidas que, como você julgaria do ponto de vista humano, foram muito tranquilas, muito em sintonia com a energia da sagrada Mãe Terra. Eu tive vidas antes de chegarmos àquela que é tão famosa.

Isto não está em seus textos sagrados, nem nos textos que são tão populares, tão aceitos. As outras vidas estão escritas em outras obras, e nem sempre eu utilizo o nome Yeshua. Eu também tinha outros nomes, como você.

Então eu conheci a vida humana. Agora, apenas para agradar um pouco a curiosidade: eu tive outras vidas, não na sagrada Mãe Terra, lá fora, no que vocês chamam agora de espaçonaves. Eu trabalhei como aquele que tinha algo a ver com a energia da nave espacial. E, então, em uma vida eu fui um comandante. Em outra vida eu me experimentei como cristal líquido, cristal de fluxo livre.

Então, você vê, não tem que ser na forma humana. Não precisa estar na sagrada Mãe Terra. Poderia ser em outro sistema solar longe, muito longe… (Sorriso)

Cada bela expressão do divino é muito parecida com as facetas de uma pedra preciosa, em seu diamante. Quando você reúne tudo isso, como é brilhante! A luz dentro e fora dele é linda. Uma vida você diz: “Oh, isso é o que eu sou nesta vida. Ah, isso é ótimo. Eu sou líder de todo o meu povo.”

Então, se eles não gostam do que você está fazendo e há um julgamento pesado, você passa a ser aquele que cuida das ovelhas e dos bodes e dedica um pouco de tempo para reconhecer o seu espírito que ativa toda a experiência.

Agora chegamos ao ponto mais interessante. Neste dia e hora, o tempo é considerado como um continuum, que existe o passado e existe o presente, e então existe o futuro. É um processo. Toda a experiência dentro do tempo está no que você imaginará como uma esfera.

Você diz que o tempo é linear. “Bem, isso aconteceu há alguns dias. Isso provavelmente acontecerá no futuro. Isso aconteceu na história há muito tempo.”

A razão pela qual você pensa que o tempo é linear é porque dentro desta bela esfera da criação, um ponto aqui e um ponto aqui, os pontos estão ligados por uma linha. Então, você diz: “Ok, o tempo é linear. Esse é o passado. Este é o futuro Eu estou em algum lugar no meio disto. Todo o tempo está nesta esfera de crença.

Agora, isso traz uma boa pergunta. O que está fora dessa esfera? O que está fora do tempo? Há muito que está fora do tempo. Você não vê isso normalmente na vida, onde você está se concentrando no que o corpo faz.

O que é um mês? É uma configuração arbitrária à parte de uma certa reunião de tempo; feito pelo homem. Você nem sempre teve o mesmo calendário. Você nem sempre sentiu que o tempo era o mesmo de todos os dias. Você o cria. Você trabalha dentro dele.

Por exemplo, você tenta fazer com que todos cheguem ao mesmo tempo e se encontrem e façam certas coisas juntos. Então você descobre que há uma pessoa (ou mais) que não pode fazer isso naquele momento. “Ok, vamos mudar isso.” Então, há outra pessoa que não pode fazer isso naquele momento. “Ok”. E você se diverte com isso, eu espero. Nem sempre; Eu observo. Pode ser um pouco de expansão da mente, sim; expansão do julgamento.

Você trabalha com o tempo, mas como eu disse, o tempo é sua criação. Você sabe que isso é verdade, porque às vezes você se divertiu com o tempo. Por exemplo, você deve estar em uma reunião às sete horas, e não há como você sair de casa e dirigir por vinte minutos e chegar lá às sete horas se você saiu de casa quando faltavam cinco minutos para as sete horas.

Mas isso pode ser feito e você fez isso. Você se surpreendeu e disse: “Bem, o que aconteceu?” Isso prova a você que você é quem está criando o tempo. Vocês são criadores maravilhosos. Permita-se olhar para tudo o que você cria e chamá-lo de bom.

É por isso que você tem a passagem em seu livro sagrado que diz que Deus – que é você – criou no primeiro dia, no segundo dia, no terceiro dia, e assim por diante. E Ele, olhou para a sua criação e a chamou de boa.

Chame tudo em sua experiência de boa. Você tem muitos que o observam. Você tem muitos que ouvem o que você tem a dizer. Talvez eles ouçam apenas uma palavra, mas pode ser o catalisador certo e perfeito para o seu despertar, para entenderem que são muito mais do que apenas o corpo.

Você não precisa saber o que eles ouvem. Mas você faz isso o tempo todo. É um presente que você dá de graça, e é aceito por aqueles que estão procurando exatamente por esse presente. Muitas vezes, você anda e não tem ideia do que você acabou de fazer, e você não precisa saber. Você é o professor, o mestre, o amante que só dá amor, apenas sorrindo.

E você diz: “Bem, sim, o sorriso não é realmente um presente tão grande.” Ah, sim, é. Pode mudar o dia de uma pessoa. Ele pode mudar sua vida porque você sorriu. Isto faz a diferença. E quando você chega ao fim de uma certa vida, seus amigos irão se lembrar de seu sorriso, de seu apoio, de seu amor, e eles dirão: “Essa foi uma vida bem vivida”.

Que assim seja.

Jeshua ben Joseph (Jesus)

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
http://www.oakbridge.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

LUZ!
STELA

Anúncios