⚜ ADAMUS – SÉRIE DA PAIXÃO – SHOULD 11

OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM

Série da Paixão 2020 – SHOUD 11 
Apresentando ADAMUS SAINT GERMAIN
canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim
em 4 de julho de 2020
www.crimsoncircle.com

Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain.

Vamos respirar bem fundo e dar as boas-vindas a todos nesta linda reunião. Aqui estamos, bem no meio do verão – ou, se estiverem no hemisfério sul, no meio do inverno – de 2020, diretamente no meio de tudo, exatamente onde vocês deveriam estar, exatamente… Mesmo agora, mesmo com muita ansiedade, aqui é provavelmente o lugar exato onde vocês deveriam estar, porque tem muita coisa acontecendo no momento.

Vamos respirar bem fundo juntos, e dar as boas-vindas a cada um de vocês que está aqui.

Agora, me disseram que não havia plateia aqui, hoje, mas eu de pé aqui no palco do Centro de Conexão do Círculo Carmesim vejo milhares de vocês aqui. Milhares. Se pudéssemos fazer uma tomada aqui de todo mundo que está na plateia… [A câmera mostra o estúdio “vazio”.]

Bom ver tantos de vocês… Temos milhares de vocês conectados neste momento no mundo todo. Vocês estão aqui. Temos o Sart no lugar em que costumava ficar. DocCE (Dra. Cheryl) está aqui. Ah, todos os que estiveram aqui. FM (John Kuderka) está aqui, é claro, mexendo com os eletrônicos como sempre, só pra que todos saibam que ele está aqui. Milhares de vocês e milhares que virão noutra época, numa época em que estarão aqui.

Então, esta sala não está vazia de modo algum. Está repleta das energias dos Shaumbra, de alguns Mestres Ascensos e, é claro, da minha. Da minha. E vocês repararam? Cauldre e Linda mencionou o novo palco. Ah, sim. Agora ele é maior, não porque eu precise de mais espaço, mas porque eu mereço mais espaço. Um palco maior pra eu poder ficar andando, pra deixar doidos os caros operadores de câmeras. Eu estava confinado antes e eu me sentia muito limitado.

Mas aqui estamos no verão – ou inverno, dependendo de onde vocês vivem – da Realização. Vou fugir do habitual pra tentar ser socialmente e politicamente correto, mas não espiritualmente correto.

Permitir e E

Antes de prosseguirmos, vamos parar um instante. Muitas coisas estão acontecendo neste momento. E, vocês sabem, eu disse há muito tempo que eu gostaria de ser lembrado por duas coisas especificamente. Uma é o Permitir. Permitir. Eu sei que fico martelando na mesma tecla: “Liberem e permitam.”

Sei que alguns estão cansados de Permitir e querem algo novo, mas Permitir é parte integral e importante de se chegar à Realização. Vocês não chegam lá trabalhando e se esforçando. Vocês chegam lá Permitindo que ocorra aquilo que é uma coisa muito natural. Permitir. Permitir, pode-se dizer, é o atalho para a Realização.

A segunda coisa é… e não tenho realmente falado muito sobre ela ultimamente… mas é o E. O E. Nós vamos entrar cada vez mais no E. Nós tivemos meio que focar no Permitir, mas o E, o ser multidimensional – sem tempo, sem espaço, com a capacidade de estar numa profusão de experiências e insights tudo ao mesmo tempo.

Não era pra vocês ficarem tão focados que só conseguissem ter uma realidade. Jamais a intenção era ser desse jeito, mas é como as coisas acabaram sendo. Agora, estamos seguindo além daí em direção ao E. Vocês não estão ficando doidos. Não vão perder a mente. Vocês vão abrir sua alma agora pra estarem no E. Muitas coisas acontecendo.

Eu sei que alguns de vocês tiveram experiências estranhas ultimamente e estão se perguntando se estão realmente ancorados, se seus pés estão bem plantados no planeta. Vocês se perguntam por que não conseguem se lembrar das coisas, por que tudo parece fora dos eixos. É porque vocês estão verdadeiramente entrando no E agora e é exatamente onde vocês devem estar.

Mestre e Humano

Vamos começar com um tipo de experiência, uma historinha, e vamos voltar pra cá no final. Mas isto fará parte do que faremos em toda esta sessão, depois de um gole de café, é claro. Ah!

O Mestre estava sentado no banco de praça. O Mestre estava consciente de tudo que estava acontecendo ao seu redor. O Mestre não estava alheio a nada disso e não era como se o Mestre não se importasse. Simplesmente, o Mestre compreendia que todas as coisas são como devem ser. Tudo está bem em toda a criação.

Então, o Mestre estava sentado no banco de praça observando toda a comoção e todo o caos, e não tentava mudar nada. Estava consciente, mas não estava se esforçando pra mudar nada, porque o Mestre havia aprendido, muito tempo atrás, que isso não é compaixão. Verdadeiramente, não é compaixão e é também infligir ou tentar infligir sua energia aos outros.

O Mestre estava sentado lá, simplesmente irradiando sua luz. Essa luz, essa luminosidade era particularmente destinada ao humano. Pois o humano estava passando por muitas mudanças e agitações dentro de si mesmo, tudo ao mesmo tempo, enquanto o planeta passava por mudanças e agitações. O humano ficava se perguntando se algum dia conseguiria. O humano estava repleto de dúvidas e de raiva, às vezes. O Mestre não tentava mudar o humano, mas simplesmente irradiava sua luz para o humano.

O Mestre estava além do tempo e do espaço. Então, não havia passado, não havia futuro. Estava tudo no Agora. Mas o humano estando ainda no chamado Agora, ou mesmo no passado, de certa forma… porque os humanos costumam operar no passado… o humano, de repente, percebeu uma luz e sentiu que ela vinha do futuro, mesmo que ela estivesse verdadeiramente vindo do Mestre no Agora.

E, nessa luz, o humano sabia o que o futuro traria. Nessa luz, por esse breve instante, o humano percebeu que, no futuro, esse humano estava realizado. Esse humano estava integrado com o Mestre e com o Eu Sou, e o humano realmente não tinha nada com que se preocupar, nada a temer, nada pelo qual ficar ansioso. E o humano voltou para o puro Permitir, sabendo que, no futuro, nessa luz do Mestre, a Realização aconteceu.

Vamos deixar a história aí por enquanto. Voltaremos a ela mais adiante neste Shoud. E, na verdade, como Linda mencionou antes, teremos 12 Shouds nesta série, o que nos levará ao final do verão – ou inverno, se estiverem na parte de baixo do planeta.

Realização

Vamos começar com a parte onde nós estamos neste momento – Verão/Inverno da Realização. Se não se importarem, vou chamar apenas de Verão – o Verão da Realização. Já tem um tempinho que venho falando sobre isso, dizendo que, ao final deste verão (inverno), espero inteiramente que mil Shaumbra terão permitido sua Realização.

“Como vão saber?”, vocês podem perguntar. Será que vamos fazer uma lista, publicar uma lista talvez na revista dos Shaumbra sobre a qual Cauldre estava falando, bem lá no final, depois da lista das pessoas de todo o mundo que estão trabalhando, e agora teremos uma lista dos Mestres realizados? Duvido muito. Duvido que eles, de fato, queiram seus nomes lá, pois o que ocorre é algo muito pessoal e particular.

Como mencionei em um de nossos encontros recentemente, existe um período geral em que vocês chegam à Realização e vocês realmente não querem sequer falar sobre isso. Vocês não querem sequer ir pra fora de si mesmos durante seis, talvez mesmo 12 meses. É algo profundamente pessoal. E não quero dizer que é muito frágil, mas é muito precioso e puro. Vocês não querem manchar isso com os pensamentos, as opiniões, as ideias dos outros sobre o que está acontecendo. Além disso, é simplesmente um momento pra vocês se banharem nisso, se deleitarem, estarem aí.

Vocês trabalharam pra isso durante muitas existências e, então, na parte final desta existência, vocês estão permitindo isso. Agora, a maioria de vocês vai sentir que não há necessidade de sair batendo tambores, batendo no peito, nem nada disso. Alguns até podem fazer isso. Alguns até podem, e não há certo nem errado com relação a isso. Apenas como cada um vai querer que seja. Mas a vasta maioria vai realmente querer um tempo consigo mesma. Será talvez um dos tempos mais tocantes de todas as suas vidas neste planeta, esse período de seis a doze meses.

Eles não vão, necessariamente, nem escrever para o Círculo Carmesim contando isso. E, certamente, eles sabem que o Círculo Carmesim não irá validar a coisa de um jeito ou de outro. Depende apenas do indivíduo. Eles não vão necessariamente falar com toda a mídia social. Não vão necessariamente escrever livros sobre isso, porque é algo profundamente pessoal, e há também um saber de que cada pessoa terá que fazer isso do seu próprio jeito.

Não há professores nessa parte final do caminho, nessa chegada à Realização. Eu não sou o professor de vocês. Eu sou um espelho. Sou um imenso espelho pra cada um de vocês. Não existe palavra alguma que eu ensine ou diga e que vá realmente ensinar alguma coisa a vocês. Estou simplesmente refletindo vocês, e é por isso que podemos fazer um Shoud como este, com cinco, 10, 20.000 pessoas acompanhando, e todas ouvirem a coisa de modo diferente, porque ouvem a si mesmas no Shoud. Estão cientes de que existe algo mais, mas sentem isso de modo muito pessoal. É porque vocês ouvem o próprio Eu, sentem o próprio Eu aqui.

Então, meus caros amigos, aqui estamos nós, neste Verão (Inverno) da Realização. Como vamos saber ao final do verão (inverno)?

Cauldre me pergunta isso pelo menos 20 vezes por dia, e eu dou sempre a mesma resposta. Não coisa de doido ele continuar achando que a resposta vai mudar? Eu devia inventar qualquer coisa pra tranquilizá-lo e fazê-lo parar de ficar constantemente perguntando:

“Como vamos saber? Como vamos saber?” Vocês sentem.

Simplesmente, sentem. Vocês saberão quando for a hora de saber, e é isso. É isso.

Mas aqui estamos nós neste tempo de Realização. Estamos no meio do verão – ou no meio do inverno –, no meio do verão da chegada à Realização. Não se trata de um grande relógio contando o tempo. Trata-se mais de algo que está se descortinando, se revelando, se abrindo, e tudo isso no meio desse louco coronavírus. Não é uma coincidência que tudo isso esteja acontecendo ao mesmo tempo.

Um Planeta em Transformação

Não é coincidência que o planeta esteja passando por uma das maiores mudanças… não, retiro o que eu disse… é a maior mudança pela qual o planeta já passou num período curto, condensado. Vocês têm não só o coronavírus, que está realmente atuando pra movimentar as coisas no planeta…

E eu sei que toda vez que há uma mudança, toda vez que há uma grande transformação, isso provoca muita comoção, caos, ansiedade e medo, mas ele está lá fazendo seu trabalho, tudo neste tempo perfeito no planeta e tudo dentro do contexto da Era das Máquinas, um tempo em que a tecnologia muda a natureza da espécie humana, da mente humana e de tudo mais referente ao humano. E está tudo acontecendo neste momento, e vocês escolhem estar aqui.

Eu já disse muitas vezes que vocês poderiam ter alcançado a Realização em sua existência anterior ou há 20 anos, ou sei lá quando, mas vocês escolheram estar aqui. Sintam a beleza e a sabedoria disso, dessa luz que veio do Mestre que está sentado no banco de praça, que poderia ter vindo da existência passada, poderia ter vindo dos anos 1700 ou poderia ser do ano de 2060. Não importa, porque o Mestre está fora do tempo. Mas essa luz se irradia não somente para o planeta, mas, mais do que qualquer outra coisa, para o humano que estava no planeta, e o humano recebe esse chamado para despertar, e o humano obtém esse saber de que “é isso”, e o humano então permite sua Realização.

O planeta está passando por esse período inacreditável e os Shaumbra têm me perguntado: “Adamus, você não está preocupado com isso?” Não, essa seria a última coisa. Estou empolgado com isso. E, então, dizem: “Adamus, não é uma coisa terrível todas essas pessoas morrendo?”

Pessoas morrem todos os dias, e não quero demonstrar frieza com relação a isso, mas a morte é uma transição natural. Parem de temê-la. Parem de pensar nela como algo horrível e diabólico. É uma transição natural. E aqueles que estão fazendo a passagem neste momento estão escolhendo isso em algum nível, talvez não no do eu humano de consciência limitada, mas em algum nível eles estão dizendo: “Vou partir agora. Vou voltar depois que a mudança tiver sido realizada.”

Não há uma certa sabedoria aí? Não há uma certa sabedoria em dizer “Olha, as coisas estão muito malucas no planeta neste momento e eu meio que estou passando por dificuldades, por que simplesmente não volto quando as coisas se acalmarem um pouco, depois que a mudança toda for concluída?” Não é uma má ideia. É como dizer que vocês vão esperar até que tudo se acalme um pouco pra poderem voltar. Nada de errado com isso.

Então, aqui estamos neste planeta, neste momento, no ponto zero. E não é só isso, mas aqui, nos Estados Unidos da América, é o Dia da Independência, Quatro de Julho, liberdade. Eu estive intimamente envolvido, ajudando a arquitetar a Constituição dos Estados Unidos. Estive por aqui na minha última existência cinco vezes pra ajudar os Pais Fundadores. Então, pra mim, é também um dia especial, o dia da independência, porque, de todas as coisas pelas quais eu tenho paixão, a maior é a liberdade – liberdade – e, em última instância, liberdade dos grilhões da condição humana, liberdade pra retornar ao estado de graça e ao estado de fluidez.

Esse coronavírus, que está devastando o planeta, e sobre o qual falamos antes, não vai acabar já. Vão continuar dizendo que já estão nas vésperas de resolver o problema e que o terão sob controle e tudo mais. Não terão. De jeito nenhum.

Não é preciso ter medo, mas eles não o terão sob controle. Ele vai continuar fazendo mutações, vai continuar desenvolvendo mais espinhos, mais aderência, prevenindo-se para não sumir já.

E ele vai continuar fazendo mutações de muitas maneiras diferentes. Mas olhem pra ele como uma resposta à consciência, não como um vírus demoníaco. Uma resposta à consciência.

E, então, em determinado momento, ele simplesmente irá desaparecer. Ele vai confundir a comunidade médica. Eles darão todos os tipos de desculpas, mas ele vai confundi-los. Ah, e o pessoal que gosta de conspirações… Uuf! Vai dar pano pra manga durante décadas o que ocasionou o vírus, em primeiro lugar, e se foi um governo sinistro ou forças alienígenas que o infligiram à humanidade. E isso vai render. Não, é tão simples quanto um vírus da consciência.

E, em último caso, o maior impacto é na economia, o que desencadeará outras coisas. Ele atinge a economia, mas, quando a economia é atingida, o que acontece? Muitas pessoas ficarão realmente no sufoco. Elas já vivem mesmo numa condição marginal, já estão naquele estado de existência e naquela mentalidade de “só o suficiente”. E, agora, quando ficarão com menos do que antes, o que acontece? Agitação civil. Agitação civil. E, de repente, as pessoas vão ficar furiosas e intolerantes. De repente, os ânimos vão se acender. De repente, qualquer coisa será suficiente pra lançar uma fagulha e desencadear qualquer coisa.

Vocês estão vendo isso nos Estados Unidos neste momento. A agitação civil, a voz das minorias surgindo agora, e, em grande parte, culpando a brutalidade da polícia. Mas a verdadeira questão é a economia. A verdadeira questão. Se houvesse equilíbrio econômico, oportunidade e acesso para todos, não haveria agitação civil. Olhem o que está acontecendo em Hong Kong neste momento. Trata-se de ser livre e de ser democrático, mas também da habilidade de ser tão abundante quanto alguém pode escolher ser. E esse direito civil, esse direito de alma está sendo negado às pessoas em Hong Kong.

Isso não será o fim da agitação civil que vem surgindo de diferentes formas pelo planeta. É realmente apenas o início. A coisa vai surgir de muitas outras formas. Alguns de vocês sentem ansiedade com relação a isso. Respirem fundo. Não se trata de vocês. Não, não se trata de vocês. Vocês têm outras coisas a fazer neste planeta.

Então, o que nós vemos neste momento é um planeta em turbulência, um planeta num momento de grande mudança – a maior que já existiu. E eu não digo isso por dizer, nem digo pra fazer uma afirmação e tanto aqui. É literalmente o que está acontecendo no planeta.

Sono e Sonhos

Da minha perspectiva, é muito interessante observar. Há coisas que, obviamente, não são faladas nas notícias, mas o que também tenho visto é que os padrões de sono estão como nunca. Eu dei uma olhada, historicamente, energeticamente, e tem pelo menos três ou quatro mil anos desde que houve tanto sono no planeta. É impressionante.

Agora, provavelmente é devido ao fato de que muitas pessoas estão ficando em casa e, de repente, estão ficando com muito sono. Estão ficando muito cansadas. Então, a soneca é o novo passatempo global. A soneca.

As pessoas estão dormindo mais horas, sim, porque não têm que ligar o alarme pra levantar de manhã e ir pro trabalho, ou, se estiverem trabalhando, estão trabalhando de casa. Não têm que se deslocar, se vestir e tudo mais.

Coisas realmente horrorosas estão acontecendo quando as pessoas têm a primeira reunião em vídeo pela manhã, porque algumas não colocam nem roupa. Muitas nem tomam banho. Não escovam os dentes, não penteiam o cabelo nem nada disso. Tudo bem. É um pouco mais relaxante. Mas se vocês pudessem ver o que eu vejo, uuf! Uau. Talvez, mais tarde no dia, tipo às três, quatro horas, elas vão tomar banho, ou vão tirar uma soneca e deixam pra tomar banho no dia seguinte.

Tem uma quantidade inacreditável de sono no planeta e essa é uma boa coisa. Essa é uma boa coisa – dormir – porque vocês reparam o corpo e retornam a uma estrutura mental um pouco mais normal. Ajuda a mente. Muito sono ocorrendo. E eu sei que muitos de vocês têm dormido bastante e ficam se perguntando: “Será que tem algo errado comigo?” De jeito nenhum. É um período pra dormir.

E, depois, os sonhos. Então, vejam, se vocês olhassem os sonhos como um todo para os humanos… todo mundo está sempre sonhando, mas estou falando da intensidade e do ritmo dos sonhos que estão ocorrendo. É como uma fábrica de sonhos aí fora. Todo mundo sonhando e sonhando. Sonhando coisas que jamais sonharam, lembrando mais dos sonhos.

Se fizessem um levantamento entre os humanos, digamos, há dois anos, perguntando se eles lembravam dos sonhos à noite, tipo todas as noites, a vasta maioria diria que não. Podem lembrar… isso dois anos atrás… podem lembrar ou recordar que sonharam. Talvez uma ou duas vezes por semana é bem normal que se lembrassem de que sonharam, mas não do que tratava o sonho.

Muitos sonhos estão ocorrendo agora e as pessoas estão se levantando no meio da noite. Estão se levantando das sonecas com sonhos. Estão se lembrando dos sonhos como nunca. Este mundo é uma terra de sonhos no momento. E vocês sabem disso também, porque vocês estão passando por isso.

Alguns sonhos são frustrantes. Alguns sonhos são quase sem significado e, vejam, agora, vocês estão tendo esses sonhos intermináveis. Parece que foram horas e horas sonhando e, às vezes, vocês se levantam no meio da noite, depois de sonharem, e o que acontece? Vocês voltam a dormir depois e entram no sonho. O que está acontecendo?

Quando chega a hora de mudar, pra vocês, Shaumbra, os sonhos são simplesmente a forma como o dragão ajuda a liberar algumas das velhas feridas e culpas internas. Os sonhos não são feitos pra serem analisados, processados e esmiuçados, nem pra irem a um terapeuta falar sobre eles. É simplesmente: “Ah, venho carregando isso, algo que estava preso dentro de mim, e está vindo à tona pra ser liberado.” É isso.

Os sonhos são velhas histórias, velhos pesadelos, velhas culpas. Vocês nem sempre se lembram exatamente quando eles ocorreram, e não importa. Não importa sequer que estejam tendo uma série de sonhos doidinhos, doidinhos. A única coisa que importa é saber que essas coisas estão sendo liberadas, então, vocês podem seguir para a Realização. E a coisa fica muito, muito intensa com o estado de sonho antes da Realização. É melhor, de certa forma, fazer isso lá do que conscientemente através da mente quando estão acordados. Vocês liberam todo esse lixo à noite.

Sei que alguns de vocês estão exaustos com seus sonhos e é um desafio mental que os deixa surpresos com os sonhos. Simplesmente, parem e respirem fundo. É apenas essa coisa toda se movimentando, voltando para a energia de vocês de modo muito puro e claro. Os humanos, em geral, neste momento, estão tendo muitos sonhos.

O que está acontecendo no planeta é que há um grande grupo de pessoas… a maioria dos humanos está simplesmente desejando retornar para o ponto de onde vieram, desejando retornar para a vida que tinham. Muitos estão simplesmente esperando que os bares, os restaurantes e as lojas abram novamente, desejando poderem queimar as máscaras e nunca ter que usá-las novamente, desejando terem liberdade pra viajar pra onde quiserem, subirem num avião. Sabe lá Deus por que alguém iria querer fazer isso, mas subirem num avião.

Querem voltar ao que tínhamos seis meses atrás. Isso é interessante, porque não vai acontecer. Não vai acontecer. Digo, sim, algumas coisas, quero dizer, sim, restaurantes vão abrir de novo. Mas, do ponto de vista da consciência, isso não vai acontecer. Nunca mais vocês poderão voltar ao que tínhamos antes.

Algumas coisas antigas, algumas coisas que vocês curtiam fazer, como jogar boliche… as casas de boliche reabrirão. Sabe lá Deus por que alguém iria querer jogar boliche, mas essas coisas… Mas haverá algo diferente no ar, na consciência, quando superarmos tudo isso.

A maioria das pessoas no planeta, neste momento, está simplesmente esperando que isso acabe, e agora elas estão ficando frustradas. Elas pensavam que isso terminaria em abril ou maio. Depois, que não passaria, bem, desta época, do início do verão (inverno). Agora, estão dizendo que pode levar mais tempo, que pode levar seis meses, oito meses ou mais antes que realmente possam sair de casa novamente.

Então, elas estão ficando frustradas e continuam desejando voltar. E, nessa frustração, serão forçadas a olhar para a vida delas, para o que estão fazendo, para o lugar onde estão, e é quando começa a agitação, porque estão dizendo que há um desequilíbrio em seus direitos civis.

Mas o que há realmente – e não posso reforçar o suficiente – é um desequilíbrio em seus direitos econômicos, porque elas não sabem como articular isso. Elas não entendem e transformam em algo pelos direitos civis ou contra a brutalidade – o que, claramente, não está correto. Mas, se realmente examinassem a coisa, trata-se dos direitos econômicos, igualdade econômica, e isso vai mudar. Com certeza, vai mudar. Então, tem essa vasta maioria que simplesmente quer voltar para as velhas rotinas.

Reimaginando o Mundo

Há um número muito pequeno de humanos no planeta – eu diria que cerca de 6,5%, que compreende que agora o planeta está no precipício da mudança. É um tempo de oportunidades incríveis para a mudança. Esses 6,5% não estão com medo do que está acontecendo neste momento. Eles entendem a coisa com um nível de consciência mais elevado e sabem que há um potencial para um verdadeiro impulso de desenvolvimento.

E o desenvolvimento pode ser de qualquer coisa, desde novas tecnologias maciças até um novo entendimento maciço do corpo humano, como nunca antes, do que é realmente o DNA e o RNA e todo o funcionamento do corpo. E alguém vai até viajar por toda essa coisa que chamo de anayatron. Não vão chamar desse jeito. Vão chamar de outra coisa, mas será sobre o corpo ter um sistema de comunicação interno, invisível, uma rede dentro dele, e que, quando vocês acessam essa rede, vocês podem acessar qualquer parte da biologia humana.

O que surge como resultado da pesquisa que está acontecendo neste momento é sem precedentes e esses 6,5% de seres bastante conscientes realmente entendem isso. Eles estão começando a reimaginar o mundo. Agora, não é um grande esforço de grupo. Não é algo organizado, pelo menos no nível humano, mas eles estão reimaginando o mundo neste momento – como ele pode ser, onde as coisas vão parar.

Eles não estão nos comícios políticos e nas manifestações nas ruas, nem decidindo se vão apoiar um partido ou outro. Eles estão além desse nível. Eles estão mais conscientes e, por sinal, não, não são necessariamente vocês, Shaumbra. Vocês formam uma categoria própria. Eles estão reimaginando o mundo. E eu quero reservar um instante aqui com vocês pra darmos uma olhada em como o planeta está sendo reimaginado neste momento.

Então, vou pedir à querida Linda que venha aqui para a frente. Nós preparamos a minha ferramenta de escrita favorita, o básico e simples quadro de escrever, para a Linda.

Então, vamos aproveitar um instante e ver o que estão reimaginando. Pra onde o planeta está indo?

Não é necessariamente o que vocês estão reimaginando, mas quero que realmente sintam o que está acontecendo no planeta neste momento. Vou lançar a primeira coisa e depois vou pedir a contribuição de vocês.

Pfft! Alguém perguntou como vou pedir a contribuição de vocês. É assim: eu peço a contribuição e então vocês meio que a projetam, eu ouço e Linda escreve no quadro.

[Linda ri.] Simples assim. Lembrem-se que estamos no E. Estamos no E. E alguns estão perguntando: “Ah, não estamos aí. Como você vai saber?” Estamos aqui! E eu sei! Vou escolher os melhores.

Certo, vou começar com a primeira coisa. Linda, no quadro, comece lá em cima colocando “Reimaginando”. Reimaginando. É quando há um momento fora daquela coisa que estamos fazendo agora. Reimaginar. Sintam o que esse grupo todo, esses 6,5% está fazendo, reimaginando.

~ Meio Ambiente

Certo, ótimo. Primeira coisa no quadro, o meio ambiente. Muitos estão reimaginando o meio ambiente. Não… me deixem terminar isso e eu chamo vocês. Estão reimaginando o meio ambiente agora mesmo, como ele poderia ser. Muitos estão bastante envolvidos com a questão – não sei como dizem hoje em dia – do aquecimento global, da mudança global ou o que for, mas estão reimaginando o modo como os humanos se relacionam com o meio ambiente.

Este é um passo imenso, porque até agora, em sua maioria, os humanos trabalhavam ou lutavam com o meio ambiente, os elementos. Eles tinham que sobreviver nele. Mas, agora, como Gaia está partindo, os humanos estão assumindo a responsabilidade pelo planeta. Estão reimaginando a relação com o planeta, o modo como ele os serve e como eles podem se responsabilizar por ele.

Certo, quem eu acabei de chamar… Agora, quando eu digo que estou chamando, simplesmente projetem sua energia, sua consciência. Eh, alguns diriam que é sua voz psíquica. Mas vocês têm que projetá-la. Vejam, se vocês ficam aí segurando… nem todos vocês, mas muitos… vocês seguram a coisa, e ficam mentais com relação a isso. Não, basta vocês projetarem. É o que um Mestre faz. Vocês não estarão infligindo nada. É como o Mestre irradiando a luz. O Mestre não fica dizendo: “Aqui está a luz. É melhor você usa-la ou…” Não, simplesmente, aqui, respirem fundo e projetem sua consciência. É isso. Eu vou ouvir. Tudo bem. Era o quê?

~ Viagem Espacial

Viagem espacial. Essa é boa. Reimaginar a si mesmos no universo – vou mudar isso um pouquinho. Uma coisa de cada vez. Todos vocês estão gritando agora, praticando. [Adamus ri.] Esperem. Eu chego em vocês.

Viagem espacial. É de verdade. E o que está realmente na essência da viagem espacial é o entendimento da relação da Terra no universo físico e o que realmente está lá fora. Qual é o próximo grande passo da viagem espacial? É quando a coisa fica divertida. Não será à ida pra Marte. O caminho é muito longo e moroso, e Marte não é exatamente um spa luxuoso.

Ou seja, vão lá, vejam por si mesmos, mas o que vai surgir como resultado da reimaginação da viagem espacial é um novo entendimento, talvez mesmo na existência de vocês, de que não é preciso pegar um foguetinho de metal com combustível e se lançar para outro planeta. Surgirão novos meios de atravessar corredores multidimensionais. Ficará na teoria primeiro, uma teoria bem consistente, e, depois, vão começar a fazer isso primeiro com pequenas partículas e, depois, com macacos.

LINDA: Star Trek.

ADAMUS: Obrigado. Isso. Então estão reimaginando Star Trek. É. Talvez façam uma nova série Star Trek (Jornada nas Estrelas) para a Linda. [Ela ri.]

~ Família

Próximo, reimaginar a família. Essa é ótima – a família.

LINDA: A família?

ADAMUS: Re-imaginar a família. O núcleo familiar, o modo como a família é projetada existe há muito tempo. É hora de reimaginá-la. Não tem que ser da velha maneira, em que vocês encontram alguém, se casam, têm filhos e morrem.

Reimaginar a família. O que é uma família neste momento no planeta? Bem, quem é família? Quero dizer, tem a família de sangue, mas tem muitas outras famílias se desenvolvendo. E a família, o que vocês têm no planeta? Tenho que mencionar Cauldre aqui. Vocês têm famílias misturadas, combinadas, famílias disfuncionais e todo tipo de família no planeta. Isso está mudando. E muitos querem voltar para a família tradicional. Dizem que todo o problema da Terra, do planeta, é porque estamos nos afastando da família tradicional.

É. Acostumem-se com isso porque será assim. E quando não houver mais a mãe e o pai biológicos habituais? Vocês basicamente irão ao laboratório comprar o preparado certo e terão o próprio filho ou mesmo projetarão o filho como quiserem. Não precisarão de parceiro nem de todas as outras arapucas derivadas disso. Ou as famílias serão metade robóticas e metade humanas, ou com um pouco de cada coisa. Vejam, na mesma proporção… isso é uma família misturada, onde alguns são robôs e outros são de carne e osso. Então, sim, a família é algo que está sendo reimaginado.

~ Biologia

O que mais? Certo, biologia em geral. Biologia, em geral. Verdade, sim. Provavelmente, as coisas mais evidentes que vão acontecer serão as mudanças na biologia.

Com todas as descobertas no momento sobre o corpo, como resultado de toda a infusão de dinheiro e esforço por causa do coronavírus, muitas outras coisas serão descobertas. Vão começar a realmente entender a biologia.

E, quando começarem a combinar isso com tecnologia, vocês terão toda… bem, falamos sobre isso no ProGnost 2018… terão toda uma nova espécie de humanos, e isso está acontecendo agora mesmo. Agora mesmo. E, combinando isso com a família, vocês terão uma dinâmica inteiramente diferente no planeta.

~ Economia

O que mais? Economia. Sim, falamos sobre isso. Poderia escrever, Linda? Economia. Falamos sobre isso recentemente no ProGnost 2020 Update (na Atualização do ProGnost 2020). O que é economia e como ela está mudando. E vou adiantar umas coisinhas pra vocês. Mas, basicamente… Economia, por sinal… a origem latina da palavra “economia” significa casa, administração da casa.

Então, a economia do mundo está mudando. Está deixando de ser controlado pelos bancos e governos, o que não era de todo ruim, mas já era hora de seguir além disso e passar, como mencionei, para coisas como criptomoedas, e entender que haverá uma espécie de esforço global para democratizar a economia. E não será como resultado de governo. Será resultado, realmente, da atuação de corporações, e o governo vai gritar e espernear, de início. Mas está acontecendo.

~ Dieta

Então, o que mais? Dietas. Essa é boa. Ah, eu ouvi “sexo”. Então, vamos falar das dietas primeiro e depois falaremos do sexo.

Então, as dietas estão mudando definitivamente. Vai mudar o modo como as pessoas comem e, sim, está indo bem além de muitas dessas… vejam, existe um movimento agora em prol de alimentos naturais e tal, mas muito em breve passará a ser o que vou chamar de alimentos projetados.

O que é um alimento projetado? Bem, é um produto resultante da avaliação tecnológica de todo o seu corpo e biologia. Então, essa tecnologia gera algo desenvolvido especificamente pra vocês. Não para os outros e não será a dieta da moda que todo mundo usa. Será a sua dieta e a dieta pode ser facilmente… e não estou brincando… facilmente impressa numa impressora 3D com exatamente os componentes certos pra vocês.

E, então, a impressora 3D com sua tecnologia será tão inteligente que vai saber tudo de que vocês gostam ou não gostam quando se trata de paladar, e comida, temperatura, textura e tudo mais. E… eu ia dizer ela cospe, mas ia soar grosseiro… ela cria, cozinha algo só pra vocês. Então, vocês inserem só o básico, digamos, uma substância à base de proteína de uma lado e sai algo especificamente pra vocês, projetado pra vocês. E não o velho bife com batatas fritas. Mas algo… é um alimento projetado só pra você. Então, sim, é interessante.

~ Sexo

Sexo. Eh, o sexo está sendo reimaginado neste momento e esse é um caminho tortuoso. Heh! O sexo está realmente no âmago da culpa e da vergonha da humanidade e é onde muita culpa e vergonha estão armazenadas. Então, quando o sexo for reimaginado, vocês vão ter cyberporn (pornografia cibernética), é incrível…

LINDA: O quê?

ADAMUS: Isso, cyberporn. Não sabe o que é? [Linda faz uma careta e Adamus ri.] É quando a realidade artificial entra em cena. O uso da realidade artificial pra simular sexo. E vocês sabem que isso será popular. Eu me pergunto se vocês vão investir em algo… embora seja meio bizarro… [Linda se exalta.] Mas é interessante porque será muito popular. [Linda se exalta novamente.]

Mas as pessoas vão além em sua reimaginação. Elas estão reimaginando o sexo, repito, para que se torne uma coisa muito bela e pessoal entre duas pessoas que não estão repletas de culpa e vergonha, como acontecia com o sexo antes. E não haverá as antigas e costumeiras limitações ou inibições com relação ao sexo.

Até décadas recentes, sexo era algo feito somente entre um homem e uma mulher – era pra ser somente entre um homem e uma mulher – e com o propósito de fazer bebês. Isso está mudando. E depois de passar por alguns solavancos pelo caminho, o sexo será reimaginado como algo lindo que os humanos podem vivenciar uns com os outros sem culpa. Sem culpa. Acho que é o melhor da reimaginação do sexo.

~ Crianças e Educação

O que mais? Eu ouvi “crianças”. Sim. Reparem como muitas dessas coisas são bastante similares: família, biologia, sexo e crianças. Como vocês reimaginariam seus filhos? Eu pergunto para aqueles que são pais. Como vocês reimaginariam? Uma das melhores coisas sobre reimaginar as crianças e que teremos que acrescentar aí – acabei de ouvir de alguém agora – é a educação. É verdade, porque as duas coisas estão intimamente ligadas. Então, por favor, querida Linda, educação.

Quando reimaginarem seus filhos, vocês praticamente terão que reimaginar a educação, porque a educação está a caminho de seus últimos suspiros neste momento. É muito arcaica. É horrível. Já contei a história da minha educação na minha existência como Saint Germain e não era um estudo em livros tediosos e todo o resto. Era uma experiência viva. Então, educação e criação de filhos.

Então, a tecnologia basicamente será a fonte da educação, supervisionada por um ótimo professor, mas o professor será uma inteligência artificial.

O professor será uma inteligência artificial, mas, como no caso dos alimentos, o professor IA saberá exatamente qual o método de aprendizagem apropriado para seu filho.

Entenderá – através dos movimentos dos olhos, da temperatura do corpo, da capacidade de foco por determinado período de tempo, da motivação presente no cérebro e na biologia – qual é o melhor método de aprendizagem para a criança, e desenvolverá algo especificamente para essa criança, sintonizado diretamente com ela.

Também pegará um monte de coisas que vocês têm no planeta neste momento… crianças hiperativas e coisas desse tipo… esses são simplesmente seres que não querem se enquadrar em um sistema educacional velho e muito rígido. A IA será uma parte importante da reimaginação da educação.

Então, criar filhos será algo muito, muito diferente em termos de educação e em termos da capacidade deles de estarem na experiência, em vez de estarem na aula ou fazendo lições. E essa será uma grande mudança. E muitas forças poderosas não querem que isso aconteça – sindicatos, governos e essas coisas – e igrejas –, não querem que isso aconteça, mas é o que está sendo reimaginado neste momento.

Pegaremos mais dois itens da plateia – coisas que estão sendo reimaginadas no planeta.

~ Governo

Governo. Essa é muito boa. Governo.

No meio de todo esse coronavírus, as pessoas estão realmente ficando cheias e cansadas dos governos. Isto é, sempre foi assim, mas elas estão realmente entendendo que o governo não faz muita coisa por elas. É por isso que eu disse no nosso recente ProGnost Update que são as corporações que vão, de fato, fazer as mudanças reais no planeta.

Mas os governos vão mudar no sentido de como… o processo de governar outros, realmente não quero prever nem projetar onde isso vai dar. Mas acho que o melhor jeito de dizer… nas eleições ao longo dos próximos 10 anos, particularmente… começando agora, mas até daqui a 10 anos… é que todos os patifes vão cair fora. E a coisa vai ficar instável no começo, porque vocês terão no governo pessoas muito inexperientes. Mas, de certa forma, isso é mesmo uma coisa boa, porque elas estarão mais abertas ao verdadeiro propósito de um governo.

O governo não deveria dirigir as coisas para as pessoas; deveria dar suporte a elas. É como acontece numa boa empresa. Os chefes não estão lá pra chefiar as pessoas, pra dizer a elas o que fazer; eles estão lá pra dar suporte às pessoas. Então, veremos uma inversão ou uma grande mudança, particularmente, nos governos do planeta.

~ Direitos Civis

O que mais? Certo, última coisa. Direitos civis, porque isso é um problema. Direitos civis.

Então, vocês tinham as principais raças do planeta, de certo modo, vivendo em suas próprias áreas. Com o advento da modernidade das viagens, as pessoas começaram a se tornar mais deslocáveis, a mudar de lugar, a se misturarem umas com as outras, casarem inter-racialmente e tudo mais. Então, toda a questão de raça, oportunidade, economia e governo meio que andam de mãos dadas. E o que vai acontecer nesse sentido?

Vejo algumas coisas acontecendo. Uma delas é que haverá muita agitação por causa de desigualdades raciais, particularmente no mundo ocidental e, a seu tempo, em todo lugar. No final… como dizer isso… estou tentando ser um pouco politicamente correto… mas, no final, todo mundo vai precisar entender que ninguém é vítima de sua cor, de seu sexo ou orientação sexual nem nada disso, ou de sua economia. Ninguém é vítima.

No final, quando fecharmos o ciclo dessas coisas, com o aumento da consciência no planeta, cada vez mais pessoas começarão a entender que elas não são vítimas. É importante ter voz no momento, pra assegurar que essa voz seja ouvida, pois as coisas precisam mudar, mas, no final, tudo se volta para o indivíduo.

E, tendo um acesso aberto e igual, o que começará a ocorrer cada vez mais porque os governos vão mudar e as corporações que dominarão a economia do mundo vão insistir nisso, todo mundo terá mais oportunidades iguais. Agora, depende delas o que farão com essas oportunidades. Agora, depende delas o que farão com isso. No final, todo mundo precisa assumir a responsabilidade por suas escolhas, suas decisões e sua energia.

Então, obrigado, querida Linda. Caprichou na letra.

LINDA: Até o fim.

ADAMUS: Sua roupa, hoje, está muito bonita, o seu traje.

LINDA: Obrigada.

ADAMUS: Então, o planeta está sendo reimaginado neste momento. Sintam isso um instante. Cerca de 6,5% da população mundial está parando um pouquinho. Eles sabem que tem alguma coisa acontecendo.

Eles não vão se reunir em grupos nem nada disso. Nem vão se conhecer, necessariamente. Mas existe gente suficiente aqui reimaginando este planeta, o que pode existir no futuro.

Essas pessoas não vão voltar, depois que passar essa coisa de coronavírus, elas não vão voltar para as velhas maneiras. Agora é a hora da oportunidade.

Assim, vamos respirar bem fundo com isso.

A Luz dos Shaumbra

Isso nos conduz até vocês, até os Shaumbra, até o que vocês estão fazendo neste momento. Isso nos conduz a este tempo de Realização.

Então, aqui estão vocês, como humanos no meio de tudo isso, e eu sei que vocês estão ficando muito ansiosos. Vocês estão ficando muito ansiosos e isso, provavelmente, é uma boa coisa, ou pelo menos significa que vocês talvez estejam exatamente onde deveriam estar.

Mas a ansiedade diz: “Onde eu deveria estar?” A ansiedade diz: “Quando ocorrerá essa Realização?” A ansiedade está fazendo muitos de vocês pensarem: “Eu devia estar aí fora lutando por uma causa.” A ansiedade está dizendo: “O mundo está desmoronando e eu não sei o que fazer quanto a isso.”

É quando vocês param, respiram fundo e percebem que não, que tudo está, na verdade, em perfeição, mesmo onde vocês estão e o que vocês estão fazendo.

O Mestre se sentou no banco de praça e simplesmente irradiou sua luz. Essa luz saiu pelo mundo. Essa luz seguiu sem uma agenda, um propósito. A luz não tentou reimaginar nada. É sem agenda, sem uma causa, sem direção, sem nada disso. É simplesmente uma luz sendo irradiada.

Outros conseguirão sentir essa luz e, então, poderão começar a reimaginar o planeta. Outros assumirão a tarefa de mudar a economia, mudar a biologia e mudar até a viagem espacial, mudar a tecnologia. Outros farão isso, porque estão começando a reimaginar.

Eles, como o humano do Mestre, veio a este planeta nesta altura pra fazer parte de todo esse processo. Eles, esses 6,5% que estão reimaginando o planeta, não estarão alcançando sua Realização nem nada disso, pelo menos não nesta existência, talvez depois. Mas eles são os novos movimentadores e mantenedores da energia.

Os movimentadores de energia no planeta costumavam lutar e batalhar muito, mas os novos, agora, os reimaginadores, percebem que não precisam fazer isso. Outros é que vão para as ruas fazer manifestações e para a mídia fazer publicidade e tudo mais. Mas os 6,5% dos reimaginadores estão aqui pra fazer isso, reimaginar e depois dar início a um processo, seja abrindo uma empresa, fazendo uma invenção, estudando determinadas áreas que estão sendo reimaginadas. Mas eles vieram pra cá, pra este planeta, neste momento, pra fazer isso, os reimaginadores.

Eles são realmente uma grande força direcionadora para o que está acontecendo no planeta neste momento. Eles nem sabem necessariamente que estão fazendo isso. Apenas sabem que têm uma visão do futuro do planeta. Sabem pra onde o planeta pode ir. Têm o grau de consciência pra ajudar a fazer isso acontecer.

Mas, então, existem aqueles – vocês, Shaumbra – que estão aqui neste momento simplesmente para fazerem brilhar a luz, porque sem a luz, os reimaginadores podem não ser capazes de fazer o que vieram fazer aqui.

O Mestre, sentado no banco de praça, simplesmente irradiou sua luz sobre o mundo. O Mestre irradiou essa luz sobre o humano está aqui, vocês, o aspecto humano neste ponto zero de tudo no planeta.

Ele irradiou essa luz sobre vocês pra que vocês pudessem saber que vocês, o humano, realmente já estão realizados, pra que vocês deixem de duvidar disso ou buscar isso. Como eu disse no início, vocês tiveram esse vislumbre da luz do Mestre que fez com que vocês percebessem que vocês estão realizados, que vocês estão aqui.

A luz do Mestre está fora do tempo, mas o humano a percebe como vindo do futuro. O humano percebe que há um Eu futuro que está realizado, que permitiu que isso, enfim, acontecesse, mas, na realidade, está simplesmente no Agora. Mas não importa, porque a coisa é que o humano percebeu, o humano sentiu.

O Mestre, sentado no banco, nesse banco fora do tempo, portando um grande sorriso no rosto, um sorriso maravilhoso, curtindo como era ser um humano. Sem se estressar com todas as mudanças que estavam acontecendo, sabendo que havia os realizadores no planeta que estão realmente mudando tudo e sabendo que seu eu humano estava alcançando a Realização. Sem esforço, sem estudo, mas Permitindo.

De certo modo, o humano não viu dessa forma. O humano viu assim: “Não me resta mais nada. Não me resta mais nada. Não tenho truques na cartola. Não tenho mais clichês na ponta da língua. Não me resta mais nada. É realizar-me ou morrer, a esta altura.”

Houve dias em que o humano achava que a morte seria mais fácil do que continuar passando por tudo isso, mas foi quando o humano sentiu essa luz do futuro, ele a viu com clareza – não como algo fora dele, mas como sendo ele –, viu a si mesmo no futuro como um ser realizado. Ficou chocado em como a coisa não era como ele achava que seria, chocado em como ele já era assim, mas ainda não tinha compreendido isso integralmente, chocado em como era fácil, apesar do quão difícil ele tornara a coisa.

Então, o humano teve esse vislumbre. Nesse momento, quando pensou “realizar-me ou morrer”, ele teve esse vislumbre de seu Eu Futuro, que está realmente com ele neste momento.

Vamos respirar fundo e fazer isso agora mesmo. Não é um simples merabh, Shaumbra. Vamos lá.

Despertando do Sonho

Vocês são o Mestre e vocês estão sentados no banco de praça.

[A música começa.]

Não há medo. Não há agenda.

Vocês não estão tentando mudar o mundo, porque vocês reconhecem que o mundo é o que ele é.

Com toda a sua beleza, vocês reconhecem que ele vai passar por uma tremenda mudança, mas uma mudança que, bem, voltando lá pra trás, existências atrás, quando eram vocês que reimaginavam as coisas, vocês o imaginaram mudando pra isto aqui.

Assim, o Mestre ficou lá sentado, curtindo a beleza da vida.

E, vejam, quando é assim, quando o Mestre fica lá sentado, vocês curtem seja lá o que estiverem bebendo, seja lá o que estiverem comendo, seja lá como o tempo estiver. Vocês não têm que se esforçar pra irradiar sua luz. Ela está acesa. Ela está aí.

De certa forma, pode-se dizer, é como reunir um monte de dimensões, trazê-las juntas para este mesmo momento sagrado e então – whiishewwww! – a luz se propaga. A luz segue adiante. A luz segue adiante.

Outra maneira de dizer é que é como se vocês fossem um cálice. Vocês são o cálice, o recipiente, e agora seu divino simplesmente flui para esse cálice, enche esse cálice, e então o cálice transborda. E esse transbordamento é orgástico. E vocês continuam transbordando. E a alegria do divino enchendo o cálice traz mais alegria e mais transbordamento.

Assim, o Mestre fica lá sentado no banco de praça, sem agenda, sem sequer tentar sacudir o humano, dizendo: “Vamos lá! É a etapa final!” O Mestre fica simplesmente curtindo e irradiando.

O Mestre percebe que sua radiância alcança cada esquina de cada realidade.

Alcança os reimaginadores no planeta.

Alcança até aqueles que só estão querendo voltar para como as coisas eram.

Alcança até os novos que virão para este planeta.

Alcança as Novas Terras.

Alcança todos os lugares.

Alcança cada vida passada que o Mestre teve, e mesmo essas existências estão sendo transformadas. Sim! Não é só esta existência, querido humano, que vai entrar na Realização. São todas as suas existências. Todas as histórias estão mudando.

[Pausa]

Assim, o Mestre fica lá, e ele é vocês. É vocês no estado de sabedoria, no estado de graça.

E aqui estão vocês, o humano. Eu sei, há muita ansiedade neste momento. De certo modo, é até divertido, eu acho, porque tem tanta coisa acontecendo no planeta. Essa é exatamente a razão pela qual vocês vieram pra cá. Mas tem toda essa ansiedade: “Quando vai acontecer? Quando vai acontecer?” E, de repente, é como se vocês aparecessem do futuro.

O vocês do futuro, de repente, está aqui. Pode-se dizer que começa num sonho, durante uma de suas sonecas ou sessões de sono duradouras. É quando vocês primeiro deixam que ele venha.

Mas depois começa a vir para a sua consciência, mesmo em seu estado de vigília, que ele está aqui: “Meu eu do futuro está então aqui comigo no Agora.”

É o Eu realizado.

É a culminação de todas as experiências humanas e de todas as jornadas. E ele está aqui, e não há nada que vocês precisem fazer. Vocês não precisam lançar uma corda em volta dele e impedi-lo que ele volte para o futuro. Vocês não precisam venerá-lo. Não, não, não, não. Vocês não precisam venerá-lo.

Vocês simplesmente respiram fundo: “Eu Sou, Aqui.”

Ele realmente não vem do futuro. Quero dizer, pode-se dizer que ele vem, mas, não, é o Mestre no Agora.

São vocês enfim aceitando que ele está aqui, respirando fundo.

Esse Eu realizado do futuro meio que comunica a vocês que ele está aqui pra ficar. Não é um desses momentos fugazes da consciência cósmica. Ele está aqui pra ficar.

Ele é vocês. Esse vocês do futuro sabe, assim como o humano do agora ou do passado, sabe que tudo isso é escolha. Não é por acaso nem por engano. Não é porque vocês foram um humano muito simpático, ou muito ruim nem nada disso. É simplesmente por escolha, e só isso.

É isso.

Esse ser realizado do futuro sabe que há muito mais a fazer neste momento, mas, de certa forma, nada a fazer. Ou seja, muito a fazer em termos de estar na Realização – mas isso não é realmente um trabalho –, muito a fazer simplesmente estando aqui no planeta.

E o Eu realizado do futuro diz: “Ei, humano no Agora, sinta o Mestre um instante. Somos nós. Sou eu no futuro. É você no Agora. São todas as nossas vidas passadas. Mas sinta esse Mestre agora.

“Esse Mestre fica sentado lá no banco de praça, num espaço fora do tempo, ou melhor, fora do tempo e fora do espaço. O Mestre simplesmente fica sentado lá curtindo a vida.

“O Mestre está bem aqui conosco. Somos o Mestre. Estamos sentados no banco de praça. Estamos alcançando a Realização. Somos o futuro realizado.

“Estamos aqui no planeta no momento da grande mudança e estamos aqui no planeta simplesmente para nos divertir.”

E esse Eu futuro diz: “Isto não é um sonho. Isto não é um mero sonho.

“Você pode pensar que está sonhando com isso, mas não é um mero sonho. É real. Acorde do que foi o sonho.

“Acorde agora. Ei, você! Acorde do que foi o sonho, de que você estava preso na forma humana, de que você estava limitado numa realidade única. Acorde do sonho de que você estava perseguindo a Realização, mas ela era como uma cenoura na frente de um cavalo.

“Quem está sonhando agora? Quem está sonhando agora?”

Esse Eu futuro diz: “Eu não estou sonhando.”

O Eu futuro diz: “Estou realizado. Eu não sonho mais. Eu Sou o que Sou. Estou livre dos meus sonhos. Estou livre das velhas lembranças revividas no meio da noite.

“Você é o sonho. Eu sou real.”

[Pausa]

E, então, vocês não voltarão mais, vocês não voltarão jamais para aquela ansiedade, aquela coisa de se perguntar “quando”, aquele sentimento de que precisam segurar esse Eu futuro, mantê-lo aqui no Agora, de que, se vocês estragarem tudo, ele irá embora. Nunca mais.

Vocês acordam do sonho.

Agora, vocês são o Mestre sentado no banco de praça e a Realização não significa mais nada.

Ouçam isso.

Vocês são o Mestre no banco de praça. Vocês permitiram que a energia servisse vocês, sabendo que ela é sua.

Vocês alcançam a compaixão Permitindo e, de repente, a Realização não significa mais nada. Talvez um eco distante do passado, do humano que tentava alcançá-la, mas agora não é nada.

Uma vez realizados, vocês percebem que não existe Realização.

Hum. É uma forma meio engraçada de colocar isso, mas ela era uma coisa humana. Era preciso dar um nome pra ela, rotulá-la. Mas agora é simplesmente uma lembrança fugaz de um tempo anterior, de um tempo de limitação e de falta.

Agora, vocês são simplesmente um Mestre num corpo físico que está servindo vocês, num mundo em que vocês estão se divertindo, e tudo flui.

Vocês estão acordados agora, deixando o sonho humano e se tornando reais.

Vamos respirar fundo com isso, queridos Shaumbra.

Isto não é apenas um merabh ou uma história do Mestre.

Isto é o despertar de um sonho.

Vamos ficar aqui sentados juntos por alguns minutos.

[Pausa mais longa]

O mundo está sendo reimaginado neste momento em muitos níveis diferentes. Escrevemos algumas coisas no quadro – mas muitas e muitas outras coisas os reimaginadores estarão reimaginando – sobre como 6,5% que têm um certo grau de consciência estarão examinando o novo mundo.

E há um número muito pequeno daqueles que são simplesmente os Mestres da energia, da energia deles mesmos.

Vamos respirar fundo.

Saindo do sonho. Ahh!

Estamos exatamente neste momento mais precioso.

[Pausa]

Vamos respirar fundo juntos, enquanto encerramos este Shoud. Mas, antes disso, pedirei que vocês simplesmente sintam a sua paixão, a paixão do Mestre. Não existe nada como ela.

A paixão do Mestre está muito além até mesmo daqueles que estão reimaginando o planeta neste momento.

A paixão do Mestre é muito diferente da paixão de um humano. A paixão do humano tende a ser empolgante, volátil, impetuosa, cheia de drama e tudo mais. Mas sintam a paixão do Mestre.

Há uma grande diferença.

Bem, tenho que me apressar.

Quero voltar para o Clube dos Mestres Ascensos para contar a eles o que está acontecendo. Vou retornar com o Sart, o FM, a DocCE, Gunn e alguns outros. Eles curtiram aqui o dia de hoje. Vamos voltar e, em vez de ser eu a me gabar dos Shaumbra, vou deixar que eles falem desta vez. [Adamus ri.]

Os próximos 30 dias, até nosso próximo Shoud, serão profundos. É a melhor maneira de colocar isso – profundos. Eu não disse intensos; eu disse profundos.

Quero que vocês se lembrem de que estou com vocês em cada passo do caminho.

Quero que vocês se lembrem também de que tudo está bem em toda a criação.

Obrigado.

LINDA: Então, é isso. Vamos respirar, sentindo esta mensagem, dada especialmente pra vocês, pra cada um de nós. A beleza, o potencial. Respirem, sintam. É um tempo pra ficarem sossegados consigo mesmos e permitir isto pra si mesmos. Por favor, lembrem-se que Adamus está conosco, em cada passo e em cada respiração. Obrigada por fazerem parte deste Shoud. Obrigada.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – @blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/textos/passion11.html
Tradução de Inês Fernandes – mariainesfernandes@globo.com

LUZ!
STELA