FAÇA ESCOLHAS PODEROSAS

Por Jennifer Hoffman

23 de Setembro de 2022

COMPREENDENDO COMO VOCÊ ESCOLHE E FAZ AS SUAS ESCOLHAS

Você está sentindo a montanha-russa, os altos e baixos e as guinadas para os lados, as voltas e reviravoltas e vários movimentos de energia enquanto continuamos a integrar a lua cheia da semana passada e o atual Mercúrio retrógrado e a construção da quadratura Saturno/Urano. Este é o 3º de 4 e este parece muito mais poderoso do que os anteriores do ponto de vista das pessoas.

A indignação pública está crescendo em uma ampla gama de questões e, se os tiranos estudassem a história, saberiam que isso provavelmente não seria um bom presságio para eles.

Todo esse movimento de energia ao nosso redor está permeando nossos espaços de energia pessoal, bem como nossas conexões e criando oportunidades para novas escolhas, uma consciência de novos potenciais e convites para se livrar dos grilhões do passado e experimentar alguma alegria da 5D.

Algumas destas escolhas nos são impostas e algumas são voluntárias, mas algo que precisamos entender é que as escolhas surgem em nossas vidas quando estamos prontos para a transformação e uma nova jornada de iniciação espiritual está começando.

Vamos falar sobre as energias de Setembro no artigo desta semana, Escolhas e Mudança.

Quando confrontado com uma escolha, saiba o que você está escolhendo

Se você não gosta de mudanças e fica paralisado pela indecisão quando precisa considerar escolhas e tomar decisões, provavelmente não se sentirá muito confortável com este artigo porque envolve a inevitabilidade da mudança e como as forças da mudança nos obrigam a mudar mesmo quando não queremos.

Isso não está fora de nosso controle, mas lembre-se de que somos guiados por nossa missão de alma e, quando resistimos à mudança, estamos engajados em uma batalha entre o ego e a alma e isso raramente é agradável.

O que nos compele a fazer mudanças em nossa vida? Às vezes é o que outras pessoas fazem e as escolhas que elas fazem. Eu aconselhei muitos clientes que estavam vivendo suas vidas diárias e então eles tiveram que fazer mudanças porque seu parceiro os traiu, ou foi embora, ou morreu, ou fez uma escolha com a qual eles não puderam se alinhar e a mudança teve que ocorrer.

Às vezes, mudamos quando já estamos fartos de uma situação e um dia decidimos que terminamos com o status quo.

Outras vezes, decidimos que vamos mudar e seguir em frente, apenas para descobrir que não escolhemos sabiamente porque não obtivemos o resultado que queríamos. É verdade ou tentamos escolher algo com o qual não estávamos alinhados ou não conseguimos criar, ou temos o hábito de adivinhar todas as escolhas.

Quando adivinhamos nossas ações, é a partir do ponto de conclusão, após a mudança ter sido feita. Esquecemos nossos pensamentos, mentalidade e crenças no momento em que estávamos considerando esta ação. Na época, era provavelmente a ação mais óbvia, a única ação que consideraríamos ou a única ação que pensávamos ter alguma chance de sucesso. Mais tarde, quando temos opções diferentes disponíveis, pensamos que fizemos uma escolha errada, mas não fizemos. Fizemos a escolha certa naquele momento.

Se olharmos para a mudança, temos que olhar para o caminho da mudança e isso tem 4 partes,

Crenças

Potencial

Possibilidades

Consequências

Se vamos fazer uma mudança, nosso sistema de crenças tem que apoiá-la ou ela simplesmente não acontecerá. Você já se perguntou por que procrastina tanto quando tenta tomar uma decisão?

É porque as escolhas que você está considerando não estão alinhadas com o seu sistema de crenças. Há outra razão sobre a qual falarei em alguns minutos. Mas primeiro você deve considerar o que acredita sobre suas escolhas se tiver problemas para agir. Precisamos acreditar que podemos agir com sucesso em nossas escolhas para sermos bem sucedidos. Caso contrário, não teremos confiança e não faremos mudanças.

Precisamos ver algum tipo de potencial positivo, edificante, gratificante e satisfatório na mudança ou não a faremos porque será como entrar em um buraco negro. Por que perturbaríamos nossas vidas dessa maneira se não tivermos nenhuma ideia de como os resultados que estamos criando criarão mudanças que gostamos e com as quais podemos viver?

As possibilidades de nossos potenciais são críticas porque não importa quanto potencial algo tenha, se não acreditarmos que seja possível, não acontecerá. Alguém poderia dizer que você tem a capacidade de ser um trapezista, mas se você tem medo de altura, isso não acontecerá, simplesmente não será possível.

É importante explorar nossas possibilidades à medida que estabelecemos intenções e abrimos o caminho para a mudança, porque sem o alinhamento de nossas possibilidades não permitiremos que a mudança aconteça. Não importa quão excitante seja o potencial, se não houver uma possibilidade correspondente em nosso sistema de crenças, não o faremos.

E depois há a nossa boa amiga, as consequências. Não pensamos muito nas consequências, ou apenas quando sofremos um acidente ou algo nos acontece. Chamamos essas consequências e, no entanto, as consequências fazem parte de cada mudança e escolha, cada decisão e cada ação que tomamos. Toda ação tem uma consequência, que também é uma lei universal, a Lei de Causa e Efeito.

Acredite ou não, porque é verdade, consequências são o que usamos para decidir sobre nossas escolhas, ações, mudanças, os caminhos que iremos tomar e os potenciais que iremos permitir que se manifestem. Baseamos todas as decisões nas consequências e isso inclui o que os outros fazem, dizem e pensam sobre nós e o que estamos fazendo.

Se não tivermos opinião ou formos neutros sobre as consequências, elas ainda estarão lá, mas não importarão tanto para nós, ou nada. A escolha confiante surge quando estamos cientes das consequências, consideramos suas ramificações e escolhemos nossa opção mais poderosa com base no que queremos, independentemente das consequências.

Mas se não temos certeza das consequências ou as tememos genuinamente, é aí que a paralisia da escolha se instala. Não é que não possamos escolher entre as opções que temos, é que cada escolha tem uma consequência que não estamos dispostos a viver. Com isso adiamos, procrastinamos, arrumamos desculpas para não escolher e acabamos abandonando a mudança.

O problema não estava na mudança que estávamos tentando fazer, mas nas consequências, pois é aí que mora nosso medo. Eu sempre digo que não tememos o ‘medo’, o medo não é uma coisa. Tememos as consequências e elas são uma coisa muito real porque as experimentamos, sabemos de onde vêm e o que acontece, e faremos o possível para evitá-las.

Como é que isso funciona? Irei dar um exemplo de uma cliente que chamarei de Ada. Ada queria se mudar para os EUA de seu país natal, a Índia, e ir para a faculdade quando jovem. Sua família se opôs unilateralmente a isso e se recusou a deixá-la ir.

Em vez disso, eles queriam que ela se casasse com o bom rapaz que haviam escolhido para ela e se estabelecesse na mesma rua da casa de sua mãe, tivesse filhos e fosse uma boa nora, filha, esposa e mãe, nesta ordem. Dessa forma, ela estaria perto deles quando eles precisassem dela, especialmente à medida que envelhecessem. Ada percebeu que eles tinham sua vida toda mapeada e não era o que ela queria.

Então ela economizou seu dinheiro, matriculou-se na faculdade e saiu de casa sem a permissão dos pais. Eles ficaram furiosos e a repudiaram, dizendo ao resto da família que ela não fazia mais parte da família.

Ada sabia que suas ações teriam consequências e estava disposta a enfrentá-las inicialmente. Mas à medida que os anos passavam e ela continuava sendo condenada ao ostracismo por sua família, ela se perguntava se havia tomado a decisão certa. Quando seu pai morreu e ela tentou comparecer ao funeral, a família não a deixou entrar em casa. Sua mãe se recusou a vê-la, embora ela tivesse viajado milhares de quilômetros para visitá-la e compartilhar sua dor pela morte de seu pai.

Ada percebeu que por causa de sua escolha sua família a rejeitou e ela provavelmente nunca mais seria capaz de vê-los ou falar com eles novamente. Agora ela se pergunta se fazer o que ela queria foi a coisa certa, que talvez ela devesse ter ouvido seus pais em vez de seguir seu próprio caminho.

Agora, quando Ada tem que fazer escolhas, ela usa essa consequência para garantir que todos estejam de acordo com sua decisão. Ela faz perguntas intermináveis ​​a todos os envolvidos e tem medo de seguir em frente sem obter total concordância de todas as pessoas que sua decisão toca. Isso significa que ela nunca toma uma decisão com a qual se sente totalmente confortável, evita mudanças e duvida de cada movimento que faz.

A escolha e a mudança fazem parte da vida e não podemos evitá-las, por mais que tentemos. Se entendermos o processo de escolha e soubermos como fazer escolhas, teremos menos medo de escolher e mais confiança nas opções que consideramos e nas escolhas que fazemos.

Aqui está um pequeno guia para ajudá-lo com suas escolhas:

Teremos desafios ocasionais em nossa vida, não importa quão “ascensionados” acreditemos ou pensemos que somos.

Nossos desafios exigem que sejamos mais criativos com nossas escolhas. Quantas opções diferentes podemos criar para nós mesmos diante desse desafio, que é a outra opção para sermos oprimidos pelos desafios.

Conheça suas possibilidades, incluindo suas próprias limitações e coisas que você simplesmente não fará. Você não pode fazer uma escolha que crie uma transformação com a qual não esteja alinhado.

A intenção define a frequência para os tipos de escolhas que criamos, portanto, definir intenções grandes e poderosas que aproveitem toda a extensão de nossa energia é necessário se quisermos criar muitas opções de alta frequência.

As consequências sempre farão parte de suas opções, escolhas, decisões e transformações. Não há como evitá-las, mas você pode estar ciente delas e estar preparado para elas.

Aprender a criar um diálogo entre nossa intuição (conhecimento interior) e nossa voz externa também é importante, para que possamos usar a parceria cocriativa equilibrada entre humano e divino para tomarmos consciência de outros níveis de escolhas que não podemos imaginar usando nossa própria mente e pensamento baseado no passado.

E não se surpreenda se tiver que repetir uma escolha que fez antes. Embora seja perturbador enfrentar um desafio de vida quando acreditamos que não teremos que lidar com esses problemas novamente quando chegarmos a um certo nível em nosso ciclo de ascensão, isso acontece. Eu sei que algumas pessoas dizem que você chega e fica livre de todos os desafios para sempre. Infelizmente, isso não é verdade e é apenas mais informações falsas e enganosas das mesmas pessoas que também lhe disseram que o caminho da ascensão foi fácil, rápido e divertido.

Embora isso possa ser perturbador, é um teste de nossa autoconsciência, autoestima, nossos limites e de quantas escolhas e opções podemos criar para nós mesmos. Embora ainda estejamos operando em 3D no ciclo de ascensão, não estamos em um caminho linear limitado, de escolha única e é isso que podemos comemorar quando nos deparamos com mudanças desafiadoras que exigem escolhas criativas.

Este é o mês cujo tema de escolha e mudança nos encoraja a nos abrirmos para diferentes tipos de escolhas. E isso, por sua vez, eleva nossa frequência e vibração energética. Sim, o medo é uma opção e o pensamento de vítima também, mas e se considerarmos esses desafios como uma confirmação de que estamos prontos para um novo paradigma de vida e usá-los como um trampolim para outras possibilidades, potenciais, escolhas e criações que nunca consideramos antes?

Quando um caminho antigo fica sem energia, precisamos mudar de caminho e quando estamos presos em nossas desconfortáveis ​​zonas de conforto, esse imperativo de criar um novo caminho entrará em nossas vidas de uma forma ou de outra.

Escolher com sabedoria e escolher bem fazem parte do processo, mas o mais importante é fazer uma escolha e depois decidir sobre a ação e não se perder no processo. Não pense demais nisso e tente fazer a melhor e mais perfeita escolha.

Faça uma escolha, considere as consequências, tome uma decisão e depois avalie seus resultados. Certifique-se de estabelecer intenções fortes, incluindo aquelas que desafiam suas crenças e pensamentos atuais, para que você abra as portas da escolha e tenha uma vasta gama de potenciais e escolhas a serem consideradas.

Compartilhe mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Livro “Mensagens dos Mestres – De Coração a Coração”
http://mensagensdosmestres.blogspot.com/
Instagram – @blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Hologramas de AutoCura Arcturiana, Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet, Mesa Quântica 2.0, Sistema Regenerador Ashtariano – lecocqmuller@gmail.com
https://enlighteninglife.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

LUZ!
STELA

Publicidade